Relatório da WWF desaconselha consumo de camarão

Pesca ameaça peixes, e criação destrói mangues, diz ONG em relatório divulgado na Alemanha

EFE,

15 Dezembro 2008 | 14h39

Mais de 75% da população de peixes do mundo está ameaçada por causa da pesca predatória, segundo um estudo apresentado hoje em Hamburgo pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF, em inglês).   Uma das espécies mais ameaçadas é a Sebastes marinus, pelo que o WWF recomenda aos consumidores não incluir o peixe em seu menu.    A captura destes peixes tem também um efeito colateral especificamente ruim: a destruição de corais de água fria milenares.   A organização ambientalista exige, por esse motivo, a proibição absoluta de toda pesca em águas profundas e pede aos consumidores a comprar só peixe com o selo ecológico Marine Stewardship Council (MSC).   O WWF também desaconselha comprar camarões procedentes de criações do litoral tropical da América do Sul, pois para construir estes criadouros muitos mangues são destruídos. Além disso, para cada camarão destinado à criação, diz o relatório, 100 peixes morrem nas redes.   Em Instrução Normativa publicada no Diário Oficial da União em abril, o Ministério do Meio Ambiente brasileiro suspendeu as concessões para instalação de novos empreendimentos ou atividades de carcinicultura - criação de camarões - nas unidades de conservação federais e zonas de amortecimento, exceto no caso de empreendimentos previstos em planos de manejo.

Mais conteúdo sobre:
camarão wwf peixes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.