Referência mundial

Trabalho de identificação de espécies já fala em mais de 1,5 mil casos só de plantas

02 Julho 2008 | 23h59

A biodiversidade da caatinga é a maior entre as regiões de semi-árido no mundo. Trabalho de identificação de espécies já fala em mais de 1,5 mil casos só de plantas, como a aroeira, que tem um potencial de agir como antiinflamatório, ou o mandacaru, um dos símbolos da caatinga.   A ararinha-azul era uma das espécies endêmicas de aves encontradas na região, mas ela está considerada extinta desde 2000.  Biomanta ajuda a resgatar áreas degradadas  Matas podem arder em fornos de siderúrgicas  Projetos evitam o desperdício de água  Bioma em pé rende US$ 20 bi  59% da vegetação sofreu transformação  Semi-árido tem saída até contra a fome  Unir sustentabilidade e preservação é desafio  Área protegida beneficia a pesca  Criação de reserva privada colabora com biodiversidade  Incentivo para conservar  Florestas de eucalipto substituem campos  Muito além da Amazônia   Galeria de fotos   Os biomas brasileiros  "Cumprimento das legislação pelos proprietáros rurais não é o suficiente para preservação"  "É mais fácil lutar por um ecossistema com a ajuda da sociedade"

Mais conteúdo sobre:
biomas brasileiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.