Projeto milionário para despoluir rio sagrado

Símbolo da purificação para os indianos, Ganges é um dos rios mais poluídos do mundo

Jamil Chade, Agência Estado

22 Março 2010 | 18h22

O rio Ganges é o símbolo da pureza espiritual para os indianos. O épico sanscrito Ramayana apontava que qualquer pessoa que tocasse a sua água se purificaria. Mas isso foi quatro séculos antes de Jesus Cristo e bem anterior à era Industrial.

Nos últimos anos, os níveis de poluição do rio e de seus afluentes são uma ameaça para a saúde humana. Mesmo assim, a população local continua a se purificar no Ganges. Em 1984, a intoxicação das águas do rio matou 20 mil pessoas.

 

Desde os anos 90, o volume de esgoto despejado no Ganges dobrou. Na cidade de Varanasi, considerada como o local mais sagrado do país, o nível de bactérias do rio é 3 mil vezes superior ao que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera aceitável. Num dos trechos do rio Yamuna, afluente do Ganges e que atravessa a capital Nova Délhi, a vida aquática desapareceu.

 

Em 1909, o rio Yamuna era descrito como tendo águas "azuis". Mas depois de abastecer 50 milhões de pessoas e de receber 58% dos esgotos de Délhi, o rio também está entre os mais poluídos do mundo.

Hospitais para tuberculosos têm seus esgotos direcionados aos rios Ganges e Yamuna. Além disso, 69% dos esgotos das cidades indianas são despejados nos rios, lagos e no mar sem tratamento. Os dados são do Conselho de Controle de Poluição de Nova Délhi.

 

Não por acaso, 500 mil pessoas morrem por ano na Índia de doenças ligadas à poluição das águas. Ela é a primeira causa de doenças de pele no país e a maior responsável pelas taxas de mortalidade infantil.

 

Em 2009, o governo criou a Autoridade para a Bacia do Rio Ganges e estipulou, em parceria com o Banco Mundial, um projeto de US$ 1 bilhão para salvar o rio. Outros US$ 4 bilhões devem ser usados até 2020 para garantir que os esgotos não continuem a ser jogados no rio e seus afluentes.

 

Mas muitos duvidam que o dinheiro seja usado de forma eficiente. Em dez anos, US$ 500

milhões já foram gastos para recuperar o Yamuna na região de Nova Delhi. Mas em 2009 constatou-se que o rio estava tão ou mais poluído que em 1989.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.