Pressão pesqueira reduz vida nos oceanos a nível 'insustentável'

Análise é de cientistas que participarão de conferência em Vancouver sobre mudanças nos ecossistemas

Efe,

25 Maio 2009 | 14h31

A abundância e tamanho dos animais marítimos se reduziram de forma alarmante nos últimos séculos devido à atividade humana, chegando a um nível "insustentável", segundo um grupo de cientistas marítimos que fará parte de uma conferência internacional em Vancouver, no Canadá.

 

A conferência "Past II" analisará do dia 26 ao 28 de maio as pautas de mudança nos ecossistemas marítimos, as razões econômicas e sociais, assim como as consequências das alterações, exemplos históricos de recuperação de ecossistemas e o desenvolvimento de estudos de história do ambiente.

 

O "Past II" é organizado pelo programa de História das Povoações Animais Marinhas do Censo da Vida Marinha que em outubro de 2010 apresentará o primeiro compêndio de todas as formas de vida que existiram e existem nos oceanos.

 

Poul Holm, professor do Trinity College de Dublin e diretor do programa de História das Povoações Animais Marinhas, em declarações à Efe lançou o alarme antes do início da conferência.

 

"Claramente alcançamos o máximo do que os oceanos são capazes de produzir. Precisamos sair dessa situação extrema porque o que estamos fazendo é que para manter essas capturas estamos pescando rumo abaixo na cadeia alimentícia, estamos capturando peixes cada vez menores", uma situação que considerou "insustentável."

Mais conteúdo sobre:
animais marítimos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.