Polícia de Copenhague é condenada a pagar compensação a manifestantes

Ativistas presos durante a COP-15 ganham em primeira instância ação contra a Polícia de Copenhague, que deve apelar

Reuters

16 Dezembro 2010 | 16h05

Um tribunal dinamarquês pronunciou-se nesta quinta-feira sobre a prisão de 250 manifestantes durante a Conferência do Clima da ONU do ano passado, em Copenhague. A corte entendeu que a polícia da cidade prendeu ilegalmente os ativistas.Quase 2 mil manifestantes foram presos durante o evento e 250 levaram o caso à justiça reclamando de abuso contra os direitos civis.

 

A corte ordenou que a polícia pague a compensação de 5 a 9 mil coroas dinamarquesas (algo entre U$887.6 e U$1.598) para cada um dos reclamantes por detenção ilegal. A polícia de Copenhague disse que vai apelar contra a decisão.

 

Gravações de rádio comunicação da polícia obtidas por uma emissora dinamarquesa de TV e levada ao ar nesta quinta-feira revelaram a polícia ordenando ataques a representantes da mídia no meio de manifestantes.

 

"Eu sei que há muita imprensa na frente, mas eles estão em uma zona de risco. Então barrem-nos", diz um dos oficiais no comando na gravação divulgada na TV. "Eles são parte disso se ficarem parados aí."

 

"Eu quero ver esse maldito baton vermelho brilhante..." diz o oficial referindo-se, provavelmente, a alguma manifestante.

 

As gravações levaram os partidos da oposição a exigir um relatório sobre o incidente por parte do Ministro da Justiça, Lars Barfoed. Ele disse em um comunicado na quinta-feira que as demosntrações durante a conferência demandaram um esforço extraordinário da polícia.

 

"Se este é um caso de escolha muito dura escolha das palavras, eu não pode dizer neste momento, pois eu só tenho ouvido as gravações através da imprensa ", disse Barfoed. "Mas já pedi à polícia de Copenhague para informar-me mais sobre as circunstâncias."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.