Pequenos emissores não vão sofrer cortes nos EUA até 2016

EPA garantiu que regulamentação ambiental será gradual e não causará prejuízos a empresas americanas

Do The New York Times

24 Fevereiro 2010 | 10h19

Após enfrentarem críticas por terem classificado os gases estufas como uma ameaça ao bem-estar da população, funcionários da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês) garantiram anteontem que qualquer regulamentação sobre o tema será estabelecida de forma gradual e não causará prejuízos às empresas americanas.

 

A administradora da EPA, Lisa Jackson, escreveu, em carta destinada a oito senadores do Partido Democrata, que só as grandes fontes de gases estufa deveriam sofrer limitações antes de 2013. As menores não seriam reguladas antes de 2016.

 

Os senadores democratas, liderados por Jay Rockefeller, haviam defendido que decisões importantes sobre energia, economia e ambiente só poderiam ser tomadas por representantes eleitos, não por funcionários públicos.

 

A legislação ampla – defendida por Obama – para limitar emissões e estabelecer um mercado de carbono, já havia sofrido críticas de senadores ligados a Estados que dependem do carvão mineral.

 

Agora, eles se unem a congressistas e grupos industriais que questionam as regulações da EPA. Os republicanos pretendem ir mais longe e impedir que a agência estabeleça qualquer limite aos gases estufa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.