Pela primeira vez no século, emissões industriais de CO2 ficam estáveis

O relatório holandês não leva em consideração as emissões causadas por desflorestamento

Associated Press

01 Julho 2010 | 19h06

As emissões industriais de dióxido de carbono, principal gás causador da mudança climática, mantiveram-se estáveis em 2009, quando a recessão global reduziu o ritmo da produção nos países industrializados, enquanto que o crescimento de Índia e China compensaram a queda.

 

A Agência de Avaliação Ambiental da Holanda disse que 2009 foi o primeiro ano, desde 1992, a registrar crescimento zero nas emissões de carbono causadas pela queima de combustíveis fósseis, produção de cimento e indústria química.

 

O relatório não leva em consideração, no entanto, as emissões causadas por desflorestamento, incêndios florestais e decomposição de biomassa, que podem representar até 20% das emissões globais.

 

A agência, mantida pelo governo holandês, foi a primeira a anunciar que a China havia superado os EUA como maior poluidor do mundo, em 2006.

 

As emissões do ano passado encolheram em 7% nas principais nações industrializadas, mas aumentaram 9% na China e 6% na Índia. A China mais que dobrou suas emissões desde 2000. Já as emissões indianas aumentaram 50% no mesmo período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.