Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Sustentabilidade

Sustentabilidade » Para especialistas, elevação do mar em 2 metros é inevitável

Sustentabilidade

Para especialistas, elevação do mar em 2 metros é inevitável

A maioria dos cientistas espera um aquecimento do planeta de pelo menos 2º C, provavelmente mais

0

Reuters ,

29 Setembro 2009 | 15h20

Uma elevação de pelo menos dois metros no nível dos oceanos é praticamente inevitável, disseram especialistas numa conferência realizada na Universidade Oxford nesta terça-feira, 29.

 

Veja também:

linkNão se pode separar economia e ecologia, diz Jeffrey Sachs

linkAquecimento pode reduzir PIB de países em até 20%, diz estudo

link Derretimento no Ártico pode afetar 25% da população mundial

link Mundo deve estar pronto para crise climática, diz Reino Unido

link Mudança no clima custará US$ 400 bi anuais, diz estudo

especialExpansão econômica vs. sustentabilidade

 

"O ponto da questão do nível do mar é que ele começa muito devagar, mas uma vez que tenha ganhado impulso, é praticamente impossível de deter", disse o especialista Stefan Rahmstorf, do Instituto Potsdam da Alemanha.

 

"Não há um modo que eu consiga ver para parar essa elevação, mesmo se fôssemos à emissão zero".

Rahmstorf disse que o melhor resultado seria que, após a estabilização das temperaturas, os mares subissem a uma taxa contínua "pelos próximos séculos", sem acelerar.

 

A maioria dos cientistas espera um aquecimento de pelo menos 2º C, provavelmente mais, como resultado da mudança climática provocada por atividade humana. No último século, a temperatura média global subiu cerca de 0,7º C.

 

Rahmstorf estimou que, mesmo se o aquecimento parasse em 1,5º C, a elevação de 2 metros no nível dos oceanos ainda ocorreria nos próximos séculos, levando alguns países insulares a desaparecer.

 

Sua melhor estimativa é de uma elevação de 1 metro neste século, pressupondo um aquecimento de 3º C, e até 5 metros nos próximos 300 anos.

 

"Não há nada que possamos fazer para parar isso, a menos que consigamos resfriar o planeta. Isso exigiria retirar o dióxido de carbono da atmosfera. Não há modo conhecido de se fazer isso na escala necessária, hoje".

 

Cientistas explicam que o derretimento das geleiras é um processo que acelera a si mesmo, porque com menos gelo na superfície da Terra, menos radiação do Sol é refletida de volta ao espaço, e o planeta se aquece mais, derretendo mais gelo.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.