Papa diz ter ordenado investigação sobre abuso sexual na Espanha

Papa diz ter ordenado investigação sobre abuso sexual na Espanha

O caso veio à tona depois que um homem escreveu ao papa contando-lhe como foi molestado quando era coroinha

REUTERS

25 Novembro 2014 | 19h21

O papa Francisco disse nesta terça-feira que ordenou pessoalmente uma investigação sobre um caso de abuso sexual de um menor cometido por padres na Espanha por sentir que a igreja não deve esconder a verdade.

Três padres católicos espanhóis e um leigo foram presos na cidade de Granada na segunda-feira. O caso veio à tona depois que um homem escreveu ao papa contando-lhe como foi molestado quando era coroinha.

“Eu li. Liguei para a pessoa e lhe disse ‘vá ao bispo amanhã’ e depois escrevi ao bispo e pedi para iniciar uma investigação”, afirmou Francisco em resposta a uma pergunta de um repórter espanhol em seu voo vindo de Estrasburgo, na França, onde discursou ao Parlamento Europeu.

“Recebi esta notícia com grande dor, muita dor, mas a verdade é a verdade e não devemos escondê-la”.

Não ficou claro quando o homem escreveu ao papa, que foi eleito em março de 2013. As investigações do caso na província de Granada, no sul da Espanha, começaram “algum tempo atrás”, disse o ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz, aos repórteres, sem dar maiores detalhes.

O papa Francisco prometeu uma política de tolerância zero com abusos sexuais de menores por parte de clérigos depois de escândalos desse gênero na igreja em vários países ao longo dos anos, mas grupos que representam as vítimas afirmam que ele não tem feito o suficiente.

No início deste ano, o Vaticano declarou que, entre 2004 e 2013, expulsou cerca de 850 padres acusados de abusos sexuais de menores.

(Por Eleanor Biles e Isla Binnie)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO PAPA INVESTIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.