Daily China/Reuters
Daily China/Reuters

Panda 'octogenária' dá à luz e se torna a mais velha da espécie a ser mãe

Haizi surpreendeu ao ter gêmeos na reserva natural de Wolong, na China; há apenas 2.100 exemplares do animal

O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2017 | 10h08

SICHUAN - A ursa panda Haizi, de 23 anos (equivalentes a 80 anos em um humano), deu recentemente à luz dois filhotes gêmeos, o que a transforma no exemplar da espécie que consegue ser mãe em uma idade mais avançada, informou nesta quinta-feira, 3, a TV oficial chinesa.

Os dois ursinhos, um macho com 123 gramas de peso ao nascer e uma fêmea de 175 gramas, estão em perfeito estado de saúde e recebem os cuidados da sua mãe, informaram responsáveis da reserva natural de Wolong, na província central de Sichuan, local onde ocorreu o parto no domingo, 30.

Haizi viveu em estado selvagem até 1994 e, em 2013, já deu à luz outro casal de gêmeos.

A ursa foi levada há alguns anos para a reserva de Wolong, com instalações preparadas para exemplares de idade avançada, com o objetivo de que passasse confortavelmente os últimos anos da sua vida, mas surpreendeu os cuidadores na última primavera ao entrar no cio, acasalando com o macho Yibao.

Especialistas do Centro de Conservação e Investigação do Panda Gigante asseguram que esses animais em perigo de extinção, símbolo nacional da China, raramente têm filhos depois dos 20 anos.

A China, único hábitat natural dos pandas, tem cerca de 2.100 exemplares, dos quais 1.800 vivem em liberdade e mais de 300 em cativeiro.

Em setembro de 2016, a União Internacional para a Conservação da Natureza retirou os pandas gigantes da lista de espécies em perigo de extinção para catalogá-los como uma espécie "vulnerável". /EFE

 

 

Mais conteúdo sobre:
China [Ásia] Panda

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.