1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Noruega libera mais US$ 178 milhões para o Fundo Amazônia

Giovana Girardi, Enviada especial

06 Dezembro 2012 | 12h 04

Ministro da Noruega disse que o repasse se deu por conta da 'impressionante redução do desmatamento'

DOHA - O governo da Noruega anunciou nesta quinta-feira, 6, em reunião com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, a liberação de mais US$ 178 milhões para o Fundo Amazônia. Este é o segundo desembolso do país como parte do compromisso de doar US$ 1 bilhão para o Brasil para a proteção de florestas. Com esse repasse, já foram empenhados cerca de US$ 650 milhões.

Bard Vegar Solhjell, ministro do Meio Ambiente da Noruega, disse que o novo repasse se deu por conta da "impressionante redução do desmatamento da Amazônia em 2011", que, segundo ele "representa uma gigante contribuição para a comunidade global em termos de redução das emissões de gases de efeito estufa". Também foi elogiada a disposição do Brasil de compartilhar a tecnologia de monitoramento e combate do desmatamento com outros países da Amazônia e que compõem a Bacia do Congo, a segunda maior floresta tropical do mundo.

A expectativa é que para meados do ano que vem, quando forem confirmadas as estatísticas deste ano, um novo repasse, ainda maior, deve ser feito, uma vez que ele é proporcional ao tamanho da redução do desmatamento - segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espacial (Inpe), na comparação com a taxa do ano passado, a queda foi de 27%.

Izabella afirmou que com essa nova verba será possível dar encaminhamento a 47 novos projetos do Fundo Amazônia. Além disso, diz, vai servir para ajudar na terceira fase do Programa de Combate ao Desmatamento (PPCDAm), e em ações de restauração da floresta desmatada.

O anúncio foi feito apenas alguns dias depois de os negociadores noruegueses na Conferência do Clima da ONU, que segue até o final da semana em Doha (Catar), terem pedido verificação externa das metas relacionadas à redução do desmatamento de países que têm floresta dentro do Redd. O Brasil, que tem um sistema interno de verificação com o Inpe e passa os resultados para checagem posterior da Convenção do Clima, foi contra. A liberação do repasse passou a sensação de que a questão foi superada.

A repórter viaja a convite da Convenção do Clima da ONU (UNFCCC).