MT sedia Fórum dos Secretários de Estado do Meio Ambiente da Amazônia Legal

Evento tem como objetivo discutir REDD+, além do combate ao desmatemanto e a quimadas na região

18 Julho 2011 | 19h00

Foi aberto na manhã desta segunda-feira,18, o Fórum dos Secretários de Estado do Meio Ambiente da Amazônia Legal, com a participação os secretários do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará, Roraima, Rondônia, Tocantins e Mato Grosso, além de pesquisadores e autoridades. A Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, abriu o evento ao lado do governador do Mato Grosso, Silval Barbosa. O evento foi chamado para discutir ações e estratégias para implementação de mecanismos de Proteção do Clima e do Programa de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD ++), Regularização Ambiental dos Assentamentos Rurais, Ações de Combate ao Desmatamento e Queimadas na Amazônia Legal, além do paralelo entre desenvolvimento econômico e sustentabilidade.

O secretário de Meio Ambiente de Mato Grosso, Alexander Torres Maia, disse que o evento surgiu após a realização do Fórum de Governadores da Amazônia Legal, onde se discutiu a viabilidade da realização de reuniões de trabalho entre os secretários de Estado da pasta. "Este evento tem como objetivo integrar a Amazônia Legal para identificarmos as melhores soluções para a região. Os resultados desta reunião de trabalho serão significativos, e contribuirão para a elaboração de políticas nacionais relativas ao tema", afirmou.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, destacou a importância de se debater ações de sustentabilidade aliadas à agregação de valores para a produção. "Temos a responsabilidade de tratar a economia e o desenvolvimento econômico de outras maneiras, pensando na preservação ambiental. Queremos buscar a construção de um debate para que se coloque dentro a agenda de desenvolvimento novos caminhos de sustentabilidade", disse.

O Fórum dos Secretários de Estado do Meio Ambiente da Amazônia Legal segue até terça-feira,19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.