REUTERS
REUTERS

UE define posição única para cúpula climática das Nações Unidas

Bloco já submeteu à ONU uma promessa de reduzir suas emissões poluentes em pelo menos 40% em relação aos níveis de 1990

O Estado de S. Paulo

18 Setembro 2015 | 12h05

Ministros da União Europeia concordaram nesta sexta-feira, 18, com o que disseram ser uma postura de negociação severa para a cúpula climática da ONU no final deste ano, depois de superarem objeções da Polônia, país muito dependente da produção de carvão.

As eleições polonesas do mês que vem complicaram o debate, já que o partido direitista Lei e Justiça vem prometendo em sua campanha resistir à legislação ambiental da UE e proteger a indústria carvoeira.

Mas as conversas desta sexta-feira correram mais rápidas do que se esperava. As autoridades da UE disseram que a Polônia se deu conta de estar isolada e concordou com mudanças pontuais que não representaram diferenças substanciais.

“É uma concessão... mas levará a um acordo climático mais ambicioso, robusto e dinâmico”, disse Carole Dieschbourg, ministra do Meio-Ambiente de Luxemburgo e atual ocupante da presidência rotativa do bloco, em uma coletiva de imprensa.

O Comissário Europeu de Clima e Energia, Miguel Arias Cañete, garantiu que o bloco de 28 nações vai “fechar o acordo, não encerrar o acordo” em Paris, onde a cúpula começa no dia 30 de novembro. O bloco não assinará um pacto que não seja ambicioso o suficiente, afirmou.

A União Europeia já submeteu à ONU uma promessa de reduzir suas emissões poluentes em pelo menos 40 por cento em relação aos níveis de 1990./REUTERS

Mais conteúdo sobre:
União Europeia Meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.