1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Ministra destaca esforços do Brasil e pede contrapartida de nações ricas

Giovana Girardi - Enviada especial

05 Dezembro 2012 | 16h 05

Izabella Teixeira instou os países a aprovarem o segundo período do Protocolo de Kyoto

DOHA - A ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabella Teixeira, se dirigiu nesta quarta-feira, 5, pela primeira vez à plenária da Conferência do Clima das Nações Unidas em Doha (Catar) e instou os países a aprovarem o segundo período do Protocolo de Kyoto, que disse ser a principal tarefa desta COP.

"É o nosso maior trunfo para garantir um forte regime contra as mudanças climáticas. É o que vai garantir a continuidade de um sistema multilateral, baseado em regras que asseguram a integridade ambiental de mitigação dos países desenvolvidos sob o protocolo", afirmou.

Em seu discurso de cerca de 8 minutos, Izabella buscou mostrar os esforços que o Brasil vem fazendo para atingir a meta de reduzir as emissões em pelo menos 36% em relação a um cenário tendencial projetado para as emissões em 2020. Destacou a redução do desmatamento de 83% desde 2004 e outras ações relativas à proteção da floresta. Mas reafirmou que, apesar das ações domésticas, é preciso vir dinheiro de fora para manter os projetos de mitigação e adaptação.

"Esse esforço nacional não elimina nem minimiza a necessidade de que a fonte dos financiamentos que apoiam as ações de países em desenvolvimento na área de mudança climática sejam os mecanismos de ajuda oficiais de países desenvolvidos", disse.

Para reduzir ainda mais a taxa de desmatamento e mantê-la baixa, por exemplo, é preciso investir no desenvolvimento sustentável da região, têm colocado os negociadores brasileiros.

A repórter viaja a convite da Convenção do Clima da ONU (UNFCCC)