Minc diz que desmatamento caiu 'praticamente 60%' em julho

'Acho que o fator mais forte foi a mudança da estratégia de fiscalização', disse o ministro do Meio Ambiente

Felipe Werneck, da Agência Estado, e estadao.com.br,

15 Agosto 2008 | 14h25

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou que o desmatamento na Amazônia caiu "praticamente 60%" em julho deste ano, em relação ao mês anterior. Minc disse que a queda foi ainda mais acentuada em relação a julho do ano passado: entre 60% e 70%.   Veja também: Desmatamento na Amazônia cai a 870 km² em junho  Histórico do desmatamento  Amazônia perdeu 1,5 campo de futebol por minuto em junho  Relatório de junho do Inpe   Os dados serão divulgados oficialmente no fim do mês, pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).   Esta é a segunda vez que Carlos Minc se antecipa ao Inpe - ele havia feito o mesmo com os números de junho, que também indicavam queda no desmate. O Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), ao qual o Inpe é vinculado, havia anunciado, no início de junho, que os boletins do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), usados para a avaliação mensal da devastação da floresta, seriam divulgados diretamente pelo instituto, para evitar utilização ou manipulação política dos dados.    "Acho que o fator mais forte foi a mudança da estratégia de fiscalização nos entroncamentos rodoviários", afirmou Minc, em entrevista na sede da Petrobras. Antes, em discurso durante o lançamento do programa Petrobras Ambiental, Minc comemorou os dados apresentados por ele e declarou: "É por isso que o pessoal da frente ruralista quer pular no meu pescoço".

Mais conteúdo sobre:
desmatamento amazônia minc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.