Merkel faz alerta sobre aquecimento global

A chanceler alemã, Angela Merkel, alertou nesta segunda-feira que o aquecimento global vai se acelerar numa taxa dramática a não ser que líderes globais cheguem a um acordo para limitar as emissões de gases do efeito estufa o mais rápido possível.

Reuters

16 Julho 2012 | 15h53

Após negociações em Durban em dezembro, os países concordaram em chegar a um novo acordo até 2015 que pela primeira vez forçará todos os grandes poluidores a limitar suas emissões.

Críticos disseram na época do acordo, no entanto, que o plano era muito tímido para conter o aquecimento global.

"O tempo é fundamental", disse Merkel a uma conferência internacional em Berlim, na qual delegados de mais de 30 países se preparam para uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o clima, a ser realizada no final do ano no Catar.

Os participantes estão discutindo formas de impedir que as temperaturas globais subam mais de 2 graus Celsius.

A declaração de Merkel vem um dia depois de o ministro alemão do Meio Ambiente questionar a capacidade do país de atingir suas próprias metas climáticas em uma entrevista para o jornal Bild am Sonntag.

Isso inclui a introdução de 1 milhão de carros elétricos e a redução do uso de energia em 10 por cento até 2020. Até o início de 2012, somente 4.541 carros elétricos estavam em uso, segundo a Autoridade Federal Alemã de Transporte a Motor.

(Reportagem de Samuel Frizell e Andreas Rinke)

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTE MERKEL CLIMA ACORDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.