'Masdar City quer ser um modelo comercialmente viável'

Cidade sustentável construída no Oriente Médio quer aliar pesquisa e desenvolvimento de energias com eficiência comercial para se tornar um centro urbano realista

Andrei Netto, correspondente,

22 Junho 2012 | 12h25

PARIS - Um dos desafios de qualquer projeto de desenvolvimento sustentável é tornar-se realista. Na Alemanha, as usinas de energia solar penam a se tornar comercialmente viáveis. Na Dinamarca, as plantas de energia eólica funcionam bem, mas há dúvidas sobre se seriam tão bem sucedidas em grande escala, em países gigantes, como o Brasil. Da mesma forma, cidades como Paris tentam apostar no uso de bicicletas, ou em uma rede de transporte coletivo eficiente para evitar a proliferação de automóveis nas ruas - uma meta que ainda está longe de ser palpável.

Para testar todas essas iniciativas, os Emirados Árabes Unidos decidiram criar uma cidade planejada e sustentável, a Masdar City. Mas esse projeto, diz o Sultão Ahmed Al Jaber, diretor-presidente do projeto e espécie de ministro de Energia e Mudanças Climáticas do país, precisa não apenas ser cientificamente eficiente, mas também comercialmente viável. A ideia é que Masdar, quando estiver com 50 mil habitantes, em 2020, tenha vida econômica e social própria, como qualquer cidade, e não seja apenas um laboratório.

Para falar sobre Masdar City, o sultão Al Jaber aceitou conceder por email uma entrevista exclusiva ao Estado. Ele estará na Rio+20, onde apresentará seu projeto e, mais do que isso, buscará sensibilizar países e investidores para as iniciativas de desenvolvimento sustentável do Oriente Médio. A seguir, a síntese da entrevista.

O senhor vem à Rio+20 com o objetivo de apresentar Masdar, o projeto de cidade sustentável dos Emirados Árabes. Quais são suas expectativas para a Rio+20? Que projetos o senhor vai apresentar no Brasil?  

Uma plataforma global como a Rio+20 nos permitirá apresentar a cidade de Masdar, um dos nossos mais importantes projetos. Com esse projeto de desenvolvimento urbano baseado em baixas emissões de carbono e baixo desperdício, procuramos tornar Masdar uma das cidades mais sustentáveis do mundo. Masdar City serve como um teste para a mais recente inovação em pesquisa de energias renováveis. Mas mostrar a cidade de Masdar é apenas uma das muitas razões para nossa participação na Rio+20. A delegação dos Emirados Árabes Unidos compreende 20 entidades federais e locais do país. Os Emirados Árabes estão ansiosos para participar nas negociações de 2012 da ONU Cúpula da Terra no Rio, porque vemos nela uma grande oportunidade para que os países busquem soluções que visem a atingir o desenvolvimento sustentável. Precisamos  construir iniciativas como o Ano das Nações Unidas de Sustentabilidade para o Todos - algo com o que Masdar se comprometeu - a e incentivar a adoção de energia limpa e objectivos de desenvolvimento sustentável. Esperamos que a Cúpula da Terra no Rio vai proporcionar mais oportunidades para melhorar a cooperação entre o setor público e o privado, que é fundamental para garantir um desenvolvimento sustentável.

Qual é o objetivo principal para a cidade de Masdar? É de chegar à emissão zero ou a criação de um laboratório na cidade com o objetivo de desenvolver e testar tecnologias para outras cidades do mundo?

Masdar City é um projeto de baixo emissão de carbono, baixo desperdício e algo desenvolvimento urbano que será uma das cidades mais sustentáveis do mundo. Ela não só incorpora o compromisso de Abu Dhabi para um futuro sustentável, mas também as melhores práticas em planejamento urbano sustentável, design e construção. Mas Masdar City serve também como um banco de ensaio para desenvolver e implantar as melhores práticas para o planejamento urbano sustentável e os mais recentes desenvolvimentos em tecnologias limpas através de colaboração e parcerias entre empresas e países. Nós incentivamos novas idéias que testem, construam e ampliem matrizes energéticas diversificadas, necessárias para permitir que uma sociedade sustentável tenha energia segura. No longo prazo, a Masdar desenvolve um projeto verde de como a nação irá funcionar no futuro. O Masdar Institute e muitos dos nossos parceiros estão usando atualmente a cidade de Masdar como um banco de ensaio para projetos-piloto, incluindo veículos rápidos elétricos, e o estudo de novas tecnologias fotovoltaicas.

Masdar é um exemplo. O senhor crê na conversão de outras cidades a uma filosofia de emissão zero no futuro?

Masdar City quer ser um modelo comercialmente viável para outras cidades a seguir. Estamos confiantes de que um dia, em breve, todas as cidades do mundo aspirarão a alcançar os níveis mais altos de sustentabilidade. Enquanto isso, Masdar, por meio de suas unidades integradas, continuará a incentivar a pesquisa de ponta e a inovação no setor de energia renovável e tecnologia limpa.

Que iniciativas Masdar podem ser usadas como exemplo para as grandes cidades atuais que atingiram um nível dramático de emissão, tais como Rio de Janeiro ou São Paulo?

Com as cidades altamente povoadas, o objetivo deve ser o de gerenciar de forma inteligente o consumo de energia e sua geração. Masdar City está trabalhando em algumas iniciativas no presente. Por exemplo, para reduzir o consumo de eletricidade, bem como fazer uso de fontes sustentáveis de energia elétrica, estamos aproveitando telhados e solo para geração de energia fotovoltaica. Masdar City abriga uma planta solar de 10 megawatts (MW) que é capaz de atender às necessidades de eletricidade da cidade, enquanto o excesso de produção é alimentada em rede de Abu Dhabi. Tais iniciativas são exemplos do que pode ser aplicado com sucesso em cidades de grande porte para derrubar drasticamente o nível de emissão.

O trânsito rápido pessoal é uma das maiores ambições Masdar. O senhor vê este modelo de transporte substituindo o uso de automóveis no futuro?

Os principais objetivos na Masdar City, para garantir um transporte sustentável, são a redução total de passageiros por quilômetro percorrido, as emissões totais de dióxido de carbono, e garantir a satisfação do usuário com o sistema de transporte da cidade. Para garantir isso, Masdar City está testando o transporte pessoal rápido (PRT) e os veículos Mitsubishi Electric (SVE) em projeto-piloto. No entanto, estes têm sido testados não para substituir completamente carros, mas para complementá-los como meio de transporte sustentável. Estamos ansiosos para um futuro em que esta forma de transporte seja generalizada e os nossos esforços na compilação de anos de estudo e pesquisa possam ser usados como amostras de transporte limpo, bem sucedido e em grande escala.

O projeto Masdar é baseado sobretudo energia solar. No entanto, esta tecnologia não é de todo sustentável, se tomarmos a Alemanha como um exemplo. Você acredita que a energia Solar é mesmo o futuro da energia?

Temos sempre defendido uma abordagem diversificado com um mix de energias, que inclui o uso de hidrocarbonetos, ao mesmo tempo concentrando esforços no desenvolvimento e implementação de tecnologias limpas para reduzir as emissões de carbono, assim como no uso de de energia nuclear para fins pacíficos e energia renovável. Masdar não se baseia apenas em energia solar, mas funciona através do espectro das energias renováveis e indústria de tecnologia sustentável, através de unidades integradas. Estamos explorando diversas fontes de energia renováveis. A escolha depende dos recursos renováveis de cada país e da abundância desses recursos naquele local. Nos Emirados Árabes Unidos, somos abençoados com sol durante todo o ano, por isso é definitivamente uma fonte que podemos alavancar.

A planta da energia de Masdar, é a maior rede conectada a uma usina de energia solar no Oriente Médio, e produz cerca de 17.500 MWh de eletricidade limpa anualmente, compensando assim 15 mil toneladas de emissões de dióxido de carbono por ano - que é equivalente a 3,3 mil carros das ruas de Abu Dhabi por ano. A planta também ajuda a satisfazer as necessidades energéticas de Masdar. Além de investir em energia solar, Masdar também fez uma parceria com empresas líderes para a construção de fazenda mundial de energia eólica offshore no Reino Unido, London Array. Outras unidades de Masdar trabalham na redução das emissões de carbono e para fornecer conhecimento especializado de capital e gestão, visando investimentos em tecnologia limpa com os maiores benefícios de negócios global e para os EAU. Nós acreditamos em investir, e optando por um mix de energias.

Os Emirados Árabes Unidos são um importante produtor de petróleo e podem continuar a explorá-lo com lucro por pelo menos 150 anos. Por que investir em um projeto incerto, como Masdar?

Mesmo que os Emirados Árabes Unidos tenha grandes reservas de hidrocarbonetos, garantir o fornecimento de energia para o desenvolvimento sustentável e atender às necessidades do futuro exige ações imediatas. A escassez de recursos de água doce no Golfo Pérsico nos colocou na dependência de dessalinização, que requer energia. Assim, a segurança energética se tornou vital. A transição para novos recursos, no entanto, pode levar décadas já que a maioria dos sistemas de geração de energia atuais depende principalmente de hidrocarbonetos.

A melhor solução, portanto, é contar com uma variedade de fontes, incluindo a energia tradicional, enquanto promovemos as tecnologias limpas. Para os Emirados Árabes, reinvestir uma parte de suas receitas de petróleo em energia renovável nos faz apoiar a transição para uma economia baseada no conhecimento. Em última análise, vamos beneficiar de uma base econômica diversificada, minimizando a dependência do petróleo e aumentando as contribuições dos setores não-petrolíferos no PIB. Isso também irá ajudar a manter a posição de liderança dos EAU em mercados globais de energia e aumentar o crescimento da economia local.

O Brasil começou a explorar as suas fontes de petróleo em alto mar, o pré-sal. Que conselho o senhor daria para o governo brasileiro em matéria de investimentos em energia?

Hoje o Brasil é o 11 º maior produtor mundial de petróleo. Até 2020, deverá estar no top cinco, de acordo com um relatório da The Economist. Mas não há uma abordagem "one size fits all" para suprir as necessidades de energia. Cada país deve determinar sua matriz energética baseada nos recursos naturais disponíveis, as condições geográficas e climáticas. O governo brasileiro já está atento à conservação dos recursos e a diversificação de seu mix de energia vai ajudar no crescimento sustentável do país. Para avançar no campo da energia renovável e sustentável, a cooperação internacional é um elemento chave para a troca de conhecimento e experiências, vital para o avanço de qualquer indústria.

O que o Brasil pode ensinar a Masdar? A produção de biocombustíveis, por exemplo, lhe interessa?

Masdar é um defensor forte de partilha de conhecimentos e troca de informações entre empresas e países. Estamos empenhados em colaborar e acolher aqueles que desejam explorar as mais recentes tecnologias ligadas à energia renovável ou tecnologia limpa. Por exemplo, a pesquisa relacionada a biocombustíveis pode ser de interesse comum para Masdar Institute e entidades brasileiras. Masdar quer alavancar sua presença na Conferência Rio+20 para atrair não só a América do Sul, mas a comunidade global, para colaborar em seu esforços de pesquisa e desenvolvimento de soluções energéticas alternativas.

O senhor está procurando investidores brasileiros ou empresas que queiram participar do projeto Masdar?

Qualquer investidor brasileiro ou empresa que esteja disposta a abrir um empreendimento na cidade de Masdar será muito bem-vida. Masdar City quer emergindo como uma incubadora para o desenvolvimento sustentável e espera alavancar as energias renováveis e tecnologias limpas, integrando ensino, pesquisa e desenvolvimento e investimento. Temos uma zona livre considerado um marco de desenvolvimento para Abu Dhabi e ficaremos felizes se pudermos trabalhar com as empresas brasileiras para não apenas criar uma base, mas ser parte do crescimento e do desenvolvimento da cidade, ajudando a buscar soluções para as preocupações globais.

O lançamento do projeto Masdar atingiu um valor de US $ 15 bilhões em 2008. Para uma cidade que tem uma população de 50 mil, não é que o custo um pouco excessivo? Na sua opinião, o que faz Masdar projeto realista e não necessariamente elitista?

A cidade de Masdar deverá ter dezenas de milhares de moradores e viajantes, e não apenas seus 50 mil habitantes. O investimento total de Masdar City chega a a cerca US$ 18 a US$ 19 bilhões. Masdar está planejando trabalhar com outros desenvolvedores para tornar a cidade uma opção comercialmente viável. Esta cidade vai servir como um modelo para o resto do mundo. Como ninguém tinha tentado algo desta natureza anteriormente, todos os esforços estão sendo feitos para tornar a cidade de Masdar uma opção que está disponível para todos, e não seja elitista por natureza. O atual nível de investimento em Masdar poderia ser considerado alto, mas é um investimento a longo prazo para o futuro da nação. Os Emirados Árabes Unidos tem sido reconhecida como líder no setor de energia e os nossos líderes sempre acreditaram que a liderança implica responsabilidade. Como líder, temos a responsabilidade de contribuir para a evolução do setor. Nós vemos a energia renovável como uma extensão natural de nossa experiência de energia existente e um passo lógico na manutenção da nossa prosperidade futura.

Masdar tem o objetivo de concorrer com outros projetos internacionais da mesma categoria, como o bairro BedZED em Londres, ou Dongtan, na China. O que daria vantagem a Masdar em relação aos seus concorrentes?

O impacto da Masdar é o resultado de nossa estrutura única que integra a cadeia de valor das energias renováveis e tecnologias limpas. Isso vai desde educação, pesquisa e desenvolvimento com o Masdar Institute, investimentos em tecnologias avançadas com o Capital Masdar, a aplicação em larga escala de tecnologias limpas e a redução das emissões de carbono através de Masdar Energy. Tudo para proporcionar uma plataforma de líder global, aberta para parcerias em um ambiente de vida sustentável, um dos objetivos da cidade de Masdar. Nossas equipes são apoiadas por uma equipe focada em sustentabilidade, inovação, tecnologia e parcerias estratégicas. É através deste alcance que somos capazes de apresentar uma abordagem sustentável para as energias renováveis e tecnologias limpas, algo que não está disponível em uma única empresa ou país em qualquer outro lugar no mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.