Rogerio Santana/ Reuters
Rogerio Santana/ Reuters

Mancha de óleo na Bacia de Campos reduziu para cerca de 2 km², diz ANP

Nos primeiros dias após o vazamento no poço operado pela Chevron Brasil, mancha observada tinha 163 quilômetros quadrados de área

Clarissa Thomé, RIO DE JANEIRO,

22 Novembro 2011 | 12h52

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) informou nesta terça, 22, que a mancha de óleo na Bacia de Campos tem cerca de 2 quilômetros quadrados de área. Nos primeiros dias após o vazamento no poço operado pela Chevron Brasil, a mancha observada tinha 163 quilômetros quadrados e havia reduzido para 12 quilômetros quadrados no último dia 18. A redução da mancha de óleo foi observada em sobrevoo realizado nesta segunda-feira.

 

Na nota, a ANP confirma a emissão de dois autos de infração contra a Chevron. O primeiro, às 13h, por não cumprimento do Plano de Abandono do Poço apresentado pela própria empresa à agencia. O segundo, às 16h, pela adulteração de informações sobre o monitoramento do fundo do mar. Os valores das multas serão definidos ao final do processo administrativo.

 

O Ibama também multou nesta última segunda a empresa em R$ 50 milhões, com base na Lei do Óleo (Lei nº 9.966/2000), em virtude do vazamento ocorrido. Os trabalhos de cimentação definitiva do poço estão em andamento, sob supervisão de técnicos da ANP que se encontram embarcados na plataforma.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.