Maior lago de água doce da China está quase desaparecido devido à seca

Pequim - O lago Poyang, o maior de água doce na China, perdeu quase 90% de seu volume em consequência da seca que castiga a bacia do Yangtze, e que é a pior no meio século, informou nesta segunda-feira o jornal South China Morning Post.

Efe

30 Maio 2011 | 13h49

Grande parte do leito do lago é atualmente uma planície de barro ou erva, o que coloca em uma crítica situação os habitantes dos arredores do lago, que dependem de sua água para regar seus cultivos, destacou o periódico.

Segundo a imprensa oficial, o lago tem atualmente 0,74 milhão de quilômetros cúbicos de volume, 87% menos do que o habitual ou inclusive menos, já que em épocas úmidas o lago pode ter até 25 milhões de quilômetros cúbicos de água.

O segundo maior lago do país, o Dongting (também na bacia do Yangtze) também está parcialmente seco, e sua área atual (cerca de 900 quilômetros quadrados) é menos da metade da superfície habitual, segundo especialistas da região afetada.

A seca afeta uma bacia na qual vivem 400 milhões de pessoas, quase um terço da população chinesa, e a situação é especialmente dramática nas províncias do curso médio e baixo (Anhui, Hunan, Jiangxi, Zhejiang e Jiangsu), onde as chuvas este ano foram entre 40% e 50% menores do que o normal.

De acordo com o Escritório Estatal de Controle de Inundações e Secas, a situação afeta diretamente 3,29 milhões de pessoas e 6,96 milhões de hectares de campos de cultivo, equivalentes a 5% das terras cultiváveis no país.

Por este motivo, o Centro Meteorológico Nacional declarou "alerta amarelo" por seca, já que nos próximos dias não estão previstas grandes precipitações na área afetada.

Mais conteúdo sobre:
Poyang Yangtze

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.