Maior hidrelétrica do mundo se defende de críticas ao seu impacto ambiental

Relatório diz que represa ajudar a controlar enchentes e a contribuir para a matriz de energia limpa da China

Associated Press

20 Junho 2011 | 17h36

A operadora da hidrelétrica chinesa Três Gargantas, a maior do mundo em capacidade instalada, está se defendendo de crescentes críticas ao seu impacto ambiental e econômico.

Em relatório de responsabilidade social divulgado neste fim de semana, a China Three Gorges Corp. diz que a represa provou seu valor ao ajudar a controlar enchentes e a contribuir para a matriz de energia limpa do país. O relatório diz ainda que a represa ajudou no combate à pobreza, na assistência a vítimas de terremotos e em outras prioridades sociais.

O relatório é lançado apenas um mês depois do gabinete chinês definir vários problemas ambientais, geológicos e econômicos relacionados a esse projeto de R$ 36 bilhões no rio Yangtze.

“Estamos cumprindo uma missão sagrada ao desempenhar um papel fundamental no controle de enchentes, geração de energia, transporte e meio ambiente”, diz o relatório, postado no site da empresa.

Anunciada como a melhor forma de acabar com séculos de enchentes ao longo do Yangtze e de fornecer energia para o boom industrial da China, a represa gera controvérsias desde sua concepção, décadas atrás. O relatório do gabinete citou risco maior de deslizamentos, terremotos e danos prolongados à ecologia do rio como problemas que requerem atenção.

Nesta primavera (outono no Hemisfério Sul) uma seca prolongada adicionou pressão ao Yangtze, especialmente na porção do rio abaixo da represa, como fonte de água para indústrias, casas, fazendas, energia e transporte. A operadora da represa liberou água até o ponto em que avisou que poderia liberar pouco mais sem afetar o transporte rio acima.

Apoiadores da represa afirmam que sem ela tanto as enchentes quanto as secas seriam ainda piores. Mas a severidade de problemas recentes abasteceu a especulação de que a Três Gargantas pode estar afetando padrões gerais de clima, ou acentuando tendências associadas ao aquecimento global.

O relatório da empresa nota que a represa conteve mais de 26 bilhões de metros cúbicos de água em 2010, ajudando a controlar enchentes e guardando água que ajudou a aliviar a seca. Também forneceu 84,37 bilhões de kilowatts-hora de eletricidade limpa no mesmo ano – o equivalente a queimar 28,94 milhões de toneladas de carvão, o que teria gerado 70,66 milhões de toneladas de dióxido de carbono.

A China tem agressivamente aumentado seu uso de energia hidrelétrica como parte de sua estratégia de aumentar sua fração de energia limpa e ajudar a reduzir sua dependência de petróleo importado.

Muitas das 1,4 milhão de pessoas obrigadas a se deslocarem de casa para abrir caminho para a Três Gargantas tiveram dificuldades para reconquistar seus meios de subsistência e mudar-se para casas novas, de acordo com o relatório do gabinete.

Mais conteúdo sobre:
China hidrelétrica Tês Gargantas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.