Lixo hospitalar é jogado à beira de estrada em Presidente Prudente

Ao menos dois hospitais são suspeitos e serão ouvidos na semana que vem; entre os resíduos havia até bolsa de sangue

Sandro Villar , Especial para O Estado

24 Junho 2014 | 19h30

PRESIDENTE PRUDENTE - Uma grande quantidade de lixo hospitalar foi encontrada nesta segunda-feira, 23, em Presidente Prudente, no oeste do Estado de São Paulo. Ao menos dois hospitais são suspeitos e os responsáveis serão ouvidos na semana que vem. "Descartaram o lixo a céu aberto à beira de uma estrada vicinal perto do aeroporto", acusa André Luís Felício, de 47 anos, promotor do Meio Ambiente Urbano do Ministério Público Estadual(MPE). 

Até bolsa de sangue foi achada entre agulhas, ampolas, seringas, luvas, máscaras e outros materiais usados em hospitais. "Animais, como cachorros e pássaros, poderiam beber esse sangue e contaminar pessoas com alguma doença", alerta o promotor.

Depois de afirmar que "a responsabilização deve ser exemplar", ele lembra que as crianças também corriam riscos: "Elas poderiam se cortar com agulhas e se contaminar". Frascos de medicamentos também foram descartados. "Encontramos frascos com algum resíduo", explica o promotor, que considerou o descarte irregular "muito grave".  

O promotor não quis citar os hospitais suspeitos, cujos responsáveis vão depor na semana que vem."Seria uma leviandade de minha parte citar os nomes (dos hospitais), porque o caso está sendo investigado e ainda não dá para saber se houve má-fé", justifica, lembrando que os hospitais podem não ter culpa. "Eles(hospitais)podem ter gerenciado corretamente o descarte. Há a possibilidade de que uma empresa terceirizada tenha feito o descarte irregular e nós vamos investigar isso", explica. Se houver condenação, a pena prevista é de um a cinco anos de prisão.

Mais conteúdo sobre:
Lixo hospitalar Presidente Prudente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.