1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Leão que sofreu maus-tratos morre em Jundiaí

José Maria Tomazela - O Estado de S. Paulo

25 Fevereiro 2014 | 18h 44

Juba morava havia 20 meses em santuário da Associação Mata Ciliar. Antes, animal esteve em parque no Rio e zoológico em Fortaleza, onde viveu em condições precárias

SOROCABA - Os maus-tratos sofridos ao longo de muitos anos em cativeiro encurtaram a vida do leão Juba, retirado há 20 meses de um zoológico de Fortaleza (CE). O felino morreu nesta terça-feira (25), em Jundiaí, três dias depois de ser submetido a uma cirurgia para aliviar as dores de uma artrose.

Juba tinha 20 anos, porém, em condições adequadas, poderia viver mais dez anos em cativeiro - na natureza o tempo de vida é mais curto. O corpo do leão foi levado para uma universidade e será usado em pesquisas.

Quando foi acolhido pela Associação Mata Ciliar, que mantém um santuário ecológico em Jundiaí, Juba já estava com a saúde bastante abalada. Por causa das dores no corpo, quase não conseguia se levantar para tomar água e comer. Uma equipe de 15 profissionais, entre veterinários e biólogos, tentou reduzir as sequelas dos maus-tratos com um procedimento cirúrgico. Mas o animal não se recuperou. Em nota, a associação informou que "tudo o que pode ser feito pelo Juba foi realizado".

Histórico. A história do leão Juba é repleta de omissões e descaso. O felino morava em um parque no Rio de Janeiro que foi interditado em 2001 pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) depois que os fiscais encontraram 80 animais mortos. Na época, a suspeita recaiu sobre a falta de alimentação, pois a maioria estava abaixo do peso.

Juba foi transferido para outro zoológico particular, o Paraíso Perdido, em Fortaleza, mas sua situação não melhorou. Por falta de cobertura, os animais ficavam sob o sol escaldante. Em 2006, o zoo cearense também foi interditado e Juba foi para um centro de triagem, onde ficou três anos à espera de adoção. A Mata Ciliar construiu um recinto especial para ele, com dinheiro arrecadado em campanhas. Juba foi transportado de avião até a cidade paulista e morreu nesta terça-feira.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo