Dominic Lipinski/AP
Dominic Lipinski/AP

Inverno rigoroso causa mortes e prejuízos na Europa

Voos e trens sofrem atrasos, escolas fecham e cidades registram temperaturas mais baixas das últimas décadas

Da BBC

07 Janeiro 2010 | 16h33

O inverno rigoroso no norte da Europa interrompeu voos nos aeroportos do Reino Unido, da França, da Irlanda e da Holanda. Muitos voos foram atrasados ou cancelados no aeroporto de Orly, em Paris, no aeroporto de Dublin e no Amsterdã-Schiphol, bem como os principais aeroportos do Reino Unido. Na Alemanha, pelo menos nove homens sem-teto com idade de 42 a 62 anos morreram em consequência do frio.

 

Veja também: 

linkOnda de frio não refuta alerta para aquecimento, diz cientista

linkNeve pode causar prejuízo de US$ 3,2 bi

mais imagens Confira a galeria de fotos do inverno na Europa

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialRumo à economia do baixo carbono

Além disso, por causa da neve, um trem da Eurostar ficou parado por cerca de duas horas no túnel sob o Canal da Mancha nesta quinta-feira. Só mais tarde conseguiu chegar ao Reino Unido. Outros quatro trens Eurostar foram cancelados, de acordo com um porta-voz da companhia. Em dezembro, o serviço Eurostar já havia sido suspenso por três dias depois que vários trens quebraram no túnel. A causa identificada foi a existência de neve dentro dos motores.

 

No Reino Unido, as tempestades de neve fecharam aeroportos, causaram o atraso de trens e bloquearam estradas. Nas áreas mais atingidas, a neve acumulada atingiu até 50 centímetros de espessura. Cerca de quatro mil pessoas estão sem eletricidade no sul do país. E mais de duas mil escolas estão fechadas em áreas da Escócia, País de Gales e sudeste da Inglaterra. 

 

O Met Office disse que a Grã-Bretanha está vivenciando seu inverno mais rígido desde 1981. Se o frio intenso permanecer até sábado, conforme o previsto, o prejuízo pode chegar a 2 bilhões de libras (3,2 bilhões de dólares) para a economia britânica.

 

Os impactos da onda de frio também podem ser sentidos no sul da Europa. Na Espanha, multiplicaram-se os problemas relacionados às tempestades de chuva e neve. Uma mulher idosa morreu em Granada, no sul do país, após uma inundação.

Atrasos generalizados

Nesta quinta, muitas regiões da Alemanha viram as temperaturas caírem abaixo de -10ºC, segundo informações do site de notícias da Deutsche Welle. A retirada de neve está funcionando muito lentamente em algumas partes da Alemanha. A navegação fluvial também foi bastante afetada no país, com o fechamento de canais e rios que estavam congelados. Cerca de 60 quilômetros do canal Elba-Lübeck estão intransitáveis.

 

Já em Amsterdã, os engarrafamentos ao redor do aeroporto Schiphol fazem da desobstrução da estrada uma tarefa difícil. Na Renânia do Norte-Vestfália, dois descarrilamentos em dois dias causaram estragos no calendário ferroviário, provocando cancelamentos e atrasos. A neve causou grandes engarrafamentos perto de Amesterdã e de Haarlem na noite de ontem, segundo os boletins da Rádio Netherlands. Poucos ônibus estavam circulando nas áreas afetadas.

Na Irlanda, o aeroporto de Dublin continua em funcionamento, mas o de Knock suspendeu vôos. Todas as estradas em Dublin estão cobertas de gelo e centenas de escolas irlandesas estão fechadas, conforme informou o Times irlandês.

O gelo nas estradas também tem perturbado entregas de transporte rodoviário de mercadorias para os portos da França. A neve cobre uma grande faixa do território francês, chegando até ao sul de Bordeaux.

Em Hemavan, no extremo norte da Suécia, a Rádio Sweden registrou uma nova queda da temperatura durante a noite para -40.8ºC. O congelamento do Ártico também tem causado temperaturas na região central do país entre -30ºC e -40° C - as temperaturas mais baixas desde meados da década de 1980.

 

Leste europeu

Na Polônia, o número de mortes causadas pelo frio e o inverno rigoroso chegou a 122. Supõe-se que a maioria das vítimas sejam pessoas sem-teto. Em Burzyska nad Bugiem, no leste polonês, o exército instalou pontes improvisadas após enchentes e gelo dividirem a cidade em duas. Enquanto isso, na Rússia, uma tempestade de neve causou muitos danos em Moscou e complicou o funcionamento dos serviços e da infraestrutura em pleno Natal ortodoxo.

 

Pelo contrário, as tempestades tiveram uma trégua no leste europeu. Em Belgrado, na Sérvia, as temperaturas no termômetro chegaram a atingir os 6ºC, enquanto se registrou inundações na Bósnia, na Hungria, na Macedônia e na Albânia. Na Áustria, a capital Viena amanheceu com uma fina camada de neve de apenas alguns centímetros, que não chegou a afetar o trânsito da cidade. Já na parte oriental da Turquia, o frio é considerável, chegando a -20ºC, com fortes nevascas.

 

(Com informações da agência Efe)

Mais conteúdo sobre:
planeta ambiente inverno gelo neve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.