Greenpeace bloqueia navios na Indonésia em protesto

ONG denunciou desmatamento causado pela rápida extensão das plantações para fabricação de óleo de palma

Efe

10 Novembro 2008 | 19h35

O Greenpeace impediu nesta segunda-feira, 10, que três navios carregados com óleo de palma zarpassem de um porto da ilha de Sumatra, no oeste da Indonésia, para denunciar o desmatamento causado pela rápida extensão das plantações desse cultivo.   Entre os cargueiros retidos em Dumai se destaca um da Wilmar International, maior empresa de óleo de palma do mundo, e que transporta uma carga de 27 mil toneladas do produto a Holanda, informou o Greenpeace em comunicado.   Os outros navios são da empresa indonésia Musim Mas, da companhia Sarana Tempa Perkasa, subsidiária do gigante alimentício indonésio Indofood, ambas embarcações que tinham como destino a China.   Não é a primeira ocasião em que o Greenpeace recorre a este tipo de ação para chamar a atenção internacional sobre o desmatamento gerado pela extensão dos cultivos de óleo de palma, um componente dos biocombustíveis de que a Indonésia é o primeiro exportador do mundo.   O Greenpeace acusa a indústria do óleo de palma de ser "irresponsável" e quer que se una à campanha para frear o desmatamento, um dos principais agravantes da mudança climática.

Mais conteúdo sobre:
greenpeace meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.