Governo cede e Código Florestal será votado à tarde

Deputados passaram a manhã discursando no plenário; segundo Aldo Rebelo, texto será submetido à apreciação dos líderes dos partidos

Planeta e Agência Câmara

11 Maio 2011 | 09h10

Após diversas rodadas de negociação, está previsto para o início da tarde desta quarta-feira a votação do projeto do Código Florestal. O relator da proposta, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), afirmou que o texto está pronto para ser entregue aos líderes e aos partidos para apreciação. Pela manhã, foram feitos os últimos ajustes e o governo cedeu em relação ao último ponto de divergência: donos de propriedades rurais de até quatro módulos fiscais foram dispensados de recompor a reserva legal.

Veja também:

video Acompanhe a sessão na Câmara dos Deputados

blog Acompanhe a cobertura também pelo blog do Planeta

documento Íntegra da proposta do Novo Código Florestal

video TV Estadão: Entenda o novo Código Florestal

lista A polêmica atualização do Código Florestal do Brasil

"O texto está pronto e estamos concluindo a redação do artigo 8º, que trata das áreas de proteção permanente [APPs]. Temos acordo para votar e vamos naturalmente submeter aos líderes e aos partidos para que façam a avaliação", disse Aldo.

A sessão que vai votar o novo código começou às 9 horas. Por enquanto, deputados discursam em plenário. O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) tentou brecar a votação afirmando que, sem conhecimento do texto, seria melhor suspender a sessão, mas representantes da bancada ruralista mantiveram os trabalhos.

 

A negociação na terça-feira (10) foi marcada por idas e vindas. Por volta das 15 horas, ruralista chegaram a anunciar um acordo, negado mais tarde pelo líder do DEM, ACM Neto (BA). Por volta das 19 horas, Aldo garantiu que não havia mais ninguém na Casa contrário ao início da votação da proposta.

À noite, ambientalistas e alunos da Universidade de Brasília (UnB) fizeram uma manifestação na Câmara, gritando slogans contra o código e empunhando motosserras de papelão. Segundo eles, o texto do relator anistia desmatadores, torna menos rígidos os critérios para caracterizar APPs e coloca grandes e pequenos produtores sob as mesmas regras.

Veja também:

linkAtivista do Greenpeace desconfia de acordo para Código Florestal

linkGoverno propõe reduzir dívida agrícola de quem recuperar área de proteção

Mais conteúdo sobre:
Código Florestal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.