Governo anuncia que vai recriar Superintendência de Desenvolvimento Sustentável do Centro-Oeste

Anúncio foi feito durante Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

Agência Brasil

12 Julho 2011 | 13h30

Volta a funcionar a Superintendência de Desenvolvimento Sustentável do Centro-Oeste (Sudeco). O anuncio foi feito nesta terça-feira, 12, pelo ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, em palestra sobre o Cerrado durante a 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Goiânia.

A recriação da Sudeco, extinta durante o governo Fernando Henrique Cardoso, está prevista desde o final de 2007, quando o Congresso Nacional aprovou projeto de lei para reinstalação do órgão. A superintendência assume as funções da atual Secretaria de Desenvolvimento do Centro-Oeste, ligada à estrutura de administração direta do Ministério da Integração Nacional.

A Sudeco vai fazer repasses do fundo constitucional para a região considerada a principal fronteira agrícola do País. Além da produção agropecuária e de infraestrutura, haverá linhas de financiamento para pesquisa e inovação e para projetos de sustentabilidade ambiental.

Cerrado é 70% agricultável

Segundo Bezerra, o bioma do Cerrado, que cobre grande parte do Centro-Oeste, possui 72% das áreas agricultáveis. Além da produção de alimentados e da criação de animais, a área é reconhecida pela importância ambiental, onde está um terço da biodiversidade do território brasileiro (5% da biodiversidade do planeta). É no bioma que estão as nascentes dos rios São Francisco, Tocantins, Araguaia e Paraná.

O ministro defendeu a participação dos cientistas brasileiros nas discussões do novo Código Florestal, em tramitação no Senado. “O texto pode introduzir novos instrumentos (de avaliação de impacto) que a academia brasileira aponta”, disse se referindo ao estabelecimento de áreas de proteção e ao monitoramento do meio ambiente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.