Gilberto Carvalho promete punição rigorosa dos responsáveis pelo vazamento de óleo no Rio

De acordo com o Secretário-geral da Presidência, não faltará rigor na apuração das causas do acidente ocasionado um poço operado pela petroleira Chevron

Agência Brasil,

23 Novembro 2011 | 14h20

BRASÍLIA - O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse nesta quarta, 23, que não faltará rigor na apuração das causas do vazamento de óleo em um poço do Campo de Frade, na Bacia de Campos, operado pela petroleira norte-americana Chevron, e também, na punição dos responsáveis.

"Não vamos brincar com essa questão. Está em jogo todo nosso futuro em termos do pré-sal e nosso cuidado ambiental é muito grande. Portanto, não faltará rigor”, disse ele ao deixar a cerimônia de entrega do Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar, em Brasília.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aplicou, nesta última segunda-feira, multa R$ 50 milhões à Chevron. No mesmo dia, o presidente da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Haroldo Lima, declarou que a subsidiária brasileira da Chevron foi negligente e omitiu informações ao governo federal sobre o vazamento de petróleo. A ANP abriu dois processos contra a empresa para apurar as irregularidades.

Mais conteúdo sobre:
Chevron vazamento Rio de Janeiro Planeta Vida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.