Garrafas PET viram uniformes de trabalho

Das 183 mil toneladas de lixo geradas por dia no País, 73 mil são de resíduos recicláveis não aproveitados, diz o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Mas há quem nade contra a corrente, como a Fujiro, empresa têxtil catarinense que fabrica roupas e uniformes com fibra de PET e algodão reciclado. Em cinco anos ela transformou mais de 3 milhões de garrafas em camisetas e uniformes profissionais. Veja como os uniformes são feitos:

Planeta, O Estado de S. Paulo

29 Junho 2011 | 00h02

1) PET em pedacinhos

Para a produção das fibras de garrafa PET, as embalagens são picadas em pedacinhos e desfiadas por meio de um processo químico. As fibras resultantes são tramadas para formar o tecido. Uma camiseta com 50% de tecido PET permite retirar 2,5 garrafas do ambiente.

2) Novas tramas

Alguns tecidos utilizados nos uniformes de trabalho ficam mais maleáveis graças à combinação da fibra de PET com a de algodão. Outros são feitos de algodão reciclado, em um processo que consiste em desfiar a malha antiga e fiá-la novamente, criando uma nova trama.

3) Calças e coletes

O passo seguinte é o corte dos uniformes – calças e coletes confeccionados com 70% de algodão feito com sobras de malhas e 30% com fios de garrafas PET recicladas. A cada calça produzida por meio desse processo, até quatro garrafas deixam de ser despejadas no ambiente.

4) Peças de resistência

Os uniformes feitos com material 100% reciclado são muito resistentes, porque o tecido resultante pesa 210 gramas por metro quadrado (consistência semelhante à da sarja). Com essa combinação de tecidos também é possível produzir bolsas, nécessaires e estojos.

Mais conteúdo sobre:
PET reciclagem uniformes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.