Furacão Gustav avança para ilhas Cayman e golfo do México

O furacão Gustav ganhou força na sexta-feira sobre as águas quentes do Caribe, avançando em direção às ilhas Cayman e às plataformas de petróleo do golfo do México, no terceiro aniversário da devastadora passagem do furacão Katrina sobre Nova Orleans. A tempestade, que matou até 77 pessoas no Caribe, deve chegar ao continente na manhã de terça-feira a oeste de Nova Orleans, como um furacão da categoria 3 na escala Saffir-Simpson (que vai até 5). Os meteorologistas alertam, porém, que previsões com tanta antecedência são sujeitas a falhas. Autoridades dos EUA alertam que o furacão pode provocar uma ressaca com ondas de 5 a 9 metros. A população do litoral de quatro Estados deve começar a ser retirada no sábado. "Esta tempestade tem potencial para ser muito perigosa", disse Bill Irwin, diretor do Corpo de Engenheiros do Exército. Após uma semana de volatilidade devido à ameaça do furacão, o preço do petróleo caiu na sexta-feira. As 4.000 plataformas do golfo do México produzem um quarto do petróleo e 15 por cento do gás dos EUA. As empresas já começaram a retirar seus funcionários e a paralisar a produção. O Centro Nacional de Furacões dos EUA diz que Gustav voltou a ser um furacão da categoria 1 ao se aproximar das prósperas ilhas Cayman, na sexta-feira, e que pode chegar à categoria 3 antes de chegar ao oeste de Cuba, no domingo. Às 17h (18h em Brasília), o centro do furacão estava 160 quilômetros a leste da ilha Grand Cayman, deslocando-se para noroeste a 19 quilômetros por hora, com ventos regulares de quase 120 quilômetros horários.

ALAN MARKOFF, REUTERS

29 Agosto 2008 | 20h30

Mais conteúdo sobre:
CLIMA GUSTAV CAYMAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.