Fundo do mar é vital, mas importância ainda é pouco reconhecida

Pesquisadores da Universidade de Oregon publicaram uma resenha de mais de 200 estudos sobre recursos dos oceanos

The Washington Post

30 Julho 2014 | 22h56

A duzentos metros abaixo da superfície do oceano existe um ecossistema de plantas e animais que afetam diretamente a vida cotidiana na Terra. Mas provavelmente você não sabe como o mar profundo contribui para sua vida. Pesquisadores como Andrew Thurber, da Universidade de Oregon, acham que isso indica problemas futuros

Esta semana, na revista da Biogeosciences, ele e seus colegas publicaram uma resenha de mais de 200 estudos sobre recursos do fundo do mar, fornecendo a primeira grande perspectiva sobre o que ganhamos - e roubamos - do oceano profundo.

"Existe a ideia de que não sabemos nada sobre o fundo do mar. Que ele é esmagadoramente amplo e escuro". E certamente é um pouco misterioso: no fundo as plantas não mais extraem sua energia da luz do sol, gerando um grupo de criaturas que parecem estranhas em comparação com nossa habitual carta marinha. Mas, por volume, 98,5% das áreas do planeta que podem suportar os animais estão no fundo do mar.

Apesar de todas as fissuras desconhecidas, "sabemos o suficiente para começar a entender como nossas ações no mar profundo podem afetar o ambiente. Ações que incluem a mineração de minério e metais preciosos e também a pescaria agressiva', disse ele. 

E o que temos a perder? "Entre um quarto e metade do dióxido de carbono que enviamos para a atmosfera é absorvido pelo mar. E grandes reservatórios de metano são mantidos pela atividade biológica no ecossistema também", disse ele. "É o fundo do mar que torna nosso planeta habitável".

A mineração de níquel no fundo do mar é uma ameaça imediata, segundo o cientista. Países com acesso limitado ao metal na terra estão em busca dele no fundo do mar. "Esses metais se formam durante milhares de anos, mas podem ser extraídos incrivelmente rápido". Thurber e seus colegas temem que esses recursos se esgotem antes de entendermos o quão severo será o impacto para o meio ambiente. Poderá levar séculos para o ecossistema se recuperar.

"Queremos apenas que as pessoas saibam que o fundo do mar tem impacto na vida cotidiana", disse Thurber. "Ele permite que as pessoas vivam. E no futuro fornecerá os recursos para seus celulares e carros. É um recurso incrível que na maior parte não foi explorado, o que é empolgante. "Mas  é importante que aqueles que estão se aproveitando dos tesouros do fundo do mar ajam com cuidado", disse. 

Traduzido por Terezinha Martino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.