Filipino é acusado de matar e comer águia ameaçada

Governo pede pena severa de até 12 anos de prisão para fazendeiro acusado.

Da BBC Brasil, BBC

22 Julho 2008 | 15h42

O governo das Filipinas instruiu promotores do país a entrar com um processo contra um fazendeiro que teria matado e comido uma das águias mais raras do mundo. O homem de 22 anos, Brian Balaon, poderá ser condenado a até 12 anos de prisão se for considerado culpado da morte da águia. Segundo Steve Jackson, editor da BBC para a região, a águia morta está entre as maiores e mais fortes do planeta, mas também é uma espécie muito ameaçada. Ambientalistas estimam que existem menos de 250 aves adultas na natureza. Por isso, a história do que aconteceu a uma dessas águias, ainda jovem, atraiu a atenção de muitos. Restos Os restos da ave foram encontrados em um parque nacional filipino há duas semanas. A águia tinha sido libertada no local em março de 2008, munida de um dispositivo de rastreamento. Quando guardas florestais notaram, pelo dispositivo de rastreamento, que a ave não se movia há algum tempo, iniciaram as buscas e encontraram o esqueleto e o transmissor perto de uma árvore. O fazendeiro Brian Balaon se apresentou depois, afirmando que tinha matado a águia com uma espingarda de ar comprimido e comido a carne com amigos. Balaon afirmou que não sabia que a águia era uma espécie ameaçada. Se for considerado culpado, o fazendeiro poderá ser condenado a uma pena que varia de seis a 12 anos de prisão. O secretário de Meio Ambiente das Filipinas pediu que a punição do fazendeiro seja severa para mostrar que as autoridades querem aplicar as leis de proteção da vida selvagem no país. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
animais extinção água filipinas acusação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.