Falta de recursos dificulta retirada de petróleo do mar na China

Vazamento foi provocado pelo uso de um catalisador para acelerar a entrada do petróleo nos oleodutos

Efe,

24 Julho 2010 | 06h04

PEQUIM - A precariedade dos meios materiais utilizados e a falta de recursos está desacelerando a retirada das 1.500 toneladas de petróleo no litoral de Dalian, nordeste da China.

 

A tripulação de alguns navios pesqueiros na zona chegou a recolher o óleo usando palitos (como os utilizados como talheres por países asiáticos) ou com suas próprias mãos, segundo o jornal oficial China Daily.

 

Cerca de 800 navios trabalham na retirada do petróleo, entre eles 40 embarcações especializadas na recolha de petróleo, aos quais se acrescentou um contingente de 2 mil soldados do Exército de Libertação Popular (ELP).

 

As equipes utilizaram 23 toneladas de um óleo especial que dilui o cru, além de outros agentes absorventes do petróleo. Os trabalhadores, voluntários e bombeiros responsáveis por limpar o vazamento contam, além disso, com uma complicação meteorológica: as rajadas de vento e chuva, que provocam a expansão da mancha.

 

O governo chinês mantém silêncio há dias sobre a extensão da mancha, embora os últimos dados oficiais indiquem que alcança os 430 quilômetros quadrados de superfície no Mar Amarelo.

 

O vazamento, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira, 23, foi originado pelo uso inadequado de um catalisador para acelerar a entrada do petróleo nos oleodutos, que causou uma explosão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.