Estudo alerta para deterioração de recifes de coral nos EUA

Aumento da temperatura das águas é uma das principais ameaças à sobrevivência deste ecossistema

Efe

09 Julho 2008 | 20h33

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, em inglês) apresentou um estudo em que mostra preocupação com o fato de metade dos recifes de coral dos Estados Unidos estarem em "pobres condições".   O relatório foi apresentado no 11º Congresso Internacional dos Recifes de Coral, realizado na cidade americana de Fort Lauderdale.   O aumento da temperatura das águas nos oceanos é uma das principais ameaças à sobrevivência deste ecossistema, segundo o estudo, que destaca a importância dos recifes para mariscos e peixes.   O encontro reúne mais de 270 cientistas de todo o mundo e tem como prioridade estabelecer uma série de estratégias para aumentar a conservação do ecossistema marinho e minimizar o impacto dos seres humanos neste ambiente.   O estudo da NOAA disse que os recifes de coral do país, "especialmente os localizados próximos a zonas povoadas", são ameaçados por construções e pela pesca.   A entidade lembrou que até os recifes mais distantes estão sujeitos a ameaças como lixo, pesca ilegal, efeitos da mudança climática. Este último é um dos pontos de maior preocupação da NOAA.   O aumento da temperatura das águas poderia "desorientar os recifes e fazer com que eles comecem seu processo de fecundação de forma não-sincronizada, o que afetaria a regeneração dos corais", segundo James Guest, cientista da Universidade de Newcastle (Austrália).   Quanto aos recifes de coral dos Estados Unidos, a NOAA disse que duas espécies estão ameaçadas de extinção.   Já a pesca ilegal no Havaí é outro motivo de grande preocupação. Os peixes são fundamentais na preservação dos recifes, já que evitam que as algas se espalhem.

Mais conteúdo sobre:
meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.