Esalq reduz irrigação de laranjal em 60%

Sistema de monitoramento da umidade do solo permite produção de alta qualidade com menos água

21 Março 2009 | 16h55

Testes realizados na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP de Piracicaba mostraram que o controle rígido da irrigação de mudas na citricultura pode reduzir em até 60% o consumo de água.

O engenheiro agrônomo Eduardo Augusto Girardi comprovou que é possível produzir mudas de laranjeiras de alta qualidade usando menos água com a adoção de um sistema de monitoramento da umidade do solo. Se feita sem nenhuma forma de controle, a irrigação pode ser responsável por até 20% do valor da muda.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), é na produção de alimentos onde se gasta mais água doce.

Cerca de 69% da água doce do planeta é utilizada no processo de agricultura e pecuária. A índústria gasta 21% e para uso doméstico são destinados cerca de 10%. Para produzir um quilo de soja, por exemplo, gasta-se cerca de 1.800 litros de água. Isso equivale ao consumo de uma pessoa por 12 dias, se forem levados em consideração dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mais conteúdo sobre:
Água

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.