Descobertas grandes populações de macacos ameaçados

Área de conservação no Camboja tem cerca de 42 mil langures pretos e 2,5 mil gibões da bochecha amarela

da Redação,

28 Agosto 2008 | 18h45

A Sociedade para Conservação da Vida Selvagem (WCS, na sigla em inglês) revelou, em um relatório, ter encontrado uma grande população de duas espécies de primatas ameaçados de extinção em uma área protegida no Camboja.   Veja também:  Galeria de imagens de primatas ameaçados      O relatório fala em 42 mil langures pretos e 2,5 mil gibões da bochecha amarela na Área de Conservação de Biodiversidade Seima do Camboja. Essa estimativa representa as maiores populações conhecidas no mundo das duas espécies. Cientistas da WCS acreditam que as populações possam ser ainda maiores.   Os dados foram apresentados no Congresso Internacional da Sociedade de Primatologia em Edimburgo, na Escócia.   Nesse mesmo congresso, a WCS anunciou a descoberta de 125 mil gorilas ao norte da República do Congo.   De acordo com a WCS, uma combinação de fatores levaram a um número tão grande de primatas: plano bem sucedido a longo prazo para a conservação da área (onde, antes de ser transformada em área de conservação, a caça era extensiva), fim do desmatamento, programa nacional para confiscar armas a partir de 1990 e um hábitat onde há muita comida.

Mais conteúdo sobre:
primatas meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.