Depois de pagar fiança, fazendeira acusada de organizar safáris no Pantanal deixa PF

Presa por porte ilegal de armas, Beatriz Rondon ficou poucas horas na PF

Karina Ninni e João Naves, estadao.com.br

29 Julho 2011 | 16h34

A fazendeira Beatriz Rondon, investigada por suspeita de organizar safáris no Pantanal, foi presa em sua fazenda nesta sexta, 29. Depois de prestar depoimento, pagou R$ 25.250 de fiança e foi liberada, por volta das 16h (horário de Brasília). O flagrante por posse ilegal de armas (dois revólveres e uma espingarda, encontrados na fazenda de Beatriz) foi realizado pela Polícia Federal durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em Aquidauana (MS), a cerca de 130 km de Campo Grande.

Em maio, um vídeo divulgado pela imprensa mostrou cenas de homens disparando em onças, fazendo-as despencar de árvores. As imagens teriam sido gravadas por turistas estrangeiros que participavam do safári. Um disparo atinge uma onça-pintada, espécie em risco de extinção. Em seguida, o corpo da onça é devorado por sete cachorros. A pecuarista Beatriz Rondon diz no vídeo: "é uma grande fêmea, muito bonita. E 'tava comendo minhas vacas aqui."

Também em maio, operação conjunta da Polícia Federal, do Ibama e do Exército realizada na Fazenda Santa Sofia, de propriedade de Beatriz, apreendeu 12 armas, carcaças de animais silvestres, galhadas de veado e cervo, e couro de sucuri. Na época, a pecuarista não foi indiciada pela polícia.

Em 2002, reportagem mostrou que Beatriz Rondon recebia indenização do governo pelo gado morto por onças./COLABOROU: Cedê Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.