EFE
EFE

Crocodilo mais velho do mundo faz 114 anos

Henry pesa cerca de 500 quilos e mede quase cinco metros, vive com seis fêmeas e teve até o momento até 7 mil filhotes

EFE

16 Dezembro 2014 | 16h27

O popular Henry, o crocodilo mais velho do mundo, faz, nesta terça-feira, 16, 114 anos. Ele vive no Centro de Conservação Crocworld de Scottsburgh, na província oriental sul-africana de KwaZulu-Natal, onde se celebrará seu aniversário "com balões e torta" para todos os que se aproximarem para felicitá-lo.

"Ele nasceu em 1900 e começou sua vida sendo o terror de uma das tribos da Botsuana que habitam o delta do Rio Okavango", conta o diretor do centro, Martin Rodrigues, sobre o crocodilo que, segundo documentos citados pela imprensa sul-africana, comeu vários homens e meninos.

"Um caçador de elefantes chamado Sir Henry foi contratado para capturar o crocodilo, que foi sentenciado pelos líderes tribais a permanecer em cativeiro como castigo", completa Rodrigues, em referência ao homem que acabaria dando nome ao famoso réptil.

Depois de sobreviver a duas guerras mundiais e às independências de Botsuana e da maioria de países da África sob a custodia das autoridades tradicionais botsuanesas, sua existência mudou radicalmente em 1985.

Então, na idade em que morrem a maioria dos crocodilos, foi transportado para onde até hoje continua sendo sua casa no leste da África do Sul. 

Além de ser o animal mais visitado do centro, Henry - que pesa cerca de 500 quilos e mede quase cinco metros - vive com seis fêmeas e teve até o momento até 7 mil filhotes. 

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Crocodilo África do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.