Código Florestal: ruralistas apresentam propostas a Mendes Ribeiro

Um dos pontos de discórdia é a diferença entre agricultura familiar e pequeno produtor rural; senadora Kátia Abreu deve denunciar ainda nesta terça o rompimento do acordo sobre o novo texto

Venilson Ferreira, BRASÍLIA

22 Novembro 2011 | 16h08

O senador Waldemir Moka (PMDB/MS), acompanhado de vários deputados da Frente Parlamentar de Agropecuária, deixou na tarde desta terça, 22, o prédio do Ministério da Agricultura, após reunião com o ministro Mendes Ribeiro Filho.

 

Moka afirmou que os parlamentares foram apresentar ao ministro o conjunto de seis emendas que devem ser apresentadas até as 18 horas desta terça sobre o relatório do senador Jorge Vianna (PT/AC), relator do código na Comissão de Meio Ambiente do Senado.

Moka explicou que entre os principais pontos de discórdia está a diferença entre agricultura familiar e pequeno produtor rural. Os parlamentares defendem que todas as propriedades com até 4 módulos sejam incluídas nos benefícios previstos no Código Florestal, independente do conceito de agricultura familiar, que pressupõe o trabalho apenas dos membros da família.

Ainda na tarde desta terça, a senadora Kátia Abreu (PSD/TO), presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), concede entrevista para denunciar o rompimento do acordo sobre o novo texto do Código Florestal acertado com o relator na Comissão de Meio Ambiente, do Senado, senador Jorge Vianna (PT/AC).

Segundo a senadora, a CNA discorda de alguns pontos do relatório que considera inegociáveis, como a consolidação de uso das APPs (Áreas de Preservação Permanente) para a produção de alimentos e a conversão das multas após a regularização ambiental.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.