Reuters
Reuters

Clinton cobra ações do Brasil para defender a Amazônia

Ex-presidente dos Estados Unidos proferiu palestra em Fortaleza

Lauriberto Braga, especial para O Estado de S.Paulo,

27 Agosto 2012 | 16h23

"Precisamos construir um mundo com mais amigos do que inimigos, através de parcerias, da cooperação". A convocação é do ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, ao proferir para uma seleta platéia de duas mil pessoas, na manhã desta segunda-feira, 27, em Fortaleza, a palestra "Sustentabilidade Global". Na exposição de 90 minutos, Bill Clinton destacou o Terceiro Setor como fundamental para resolver os grandes problemas mundiais como Saúde, Educação e Meio Ambiente. Clinton elogiou o Brasil na reconstrução do Haiti, da recuperação de sua economia e na diminuição da desigualdades sociais. Chegou a declarar amor ao Brasil, mas cobrou do País mais ações em defesa do Meio Ambiente e da produção de energia limpa.

 

Bill Clinton disse que ama a política, "mas nós devemos sempre debater  coisas do dia: o que você fazer e quanto você vai gastar para fazer". Segundo ele "não imposta quanto dinheiro você tem; o importante é como você vai fazer para mudar a vida das pessoas". Não falou sobre as eleições presidenciais norte-americanas deste ano, mas lembrou que quando era presidente (1993-2001) conseguiu "economizar muitas florestas". Para ele "essa foi nossa maior contribuição" e cobrou do Brasil ações para defender a Amazônia. "O que o Brasil está fazendo em relação ao Meio Ambiente, o Mundo todo está de olho". E foi mais além dizendo que a Floresta Amazônica produz 20% do oxigênio do Mundo e que está sofrendo com a degradação.

 

Bill Clinton veio a Fortaleza a convite da Universidade de Fortaleza (Unifor). De Fortaleza ele segue para Belém (PA), onde na noite desta segunda-feira (27) fala para mais de 3 mil contabilistas nio 19º Congresso Brasileiro da categoria. A palestra em Belém será sobre "Abraçando a nossa humanidade comum".

 

Eis o que disse, de principal, Bill Clinton na palestra de Fortaleza, que serviu para difundir os princípios da Fundação Bill Clinton:

BRASIL

"I love Brazil".

'O Brasil foi um dos poucos países, na última década, que teve um crescimento robusto e um declínio na desigualdade".

"A coisa mais importante que o Brasil tem feiro, eu sei que existem desafios, mas o Brasil foi fundamental à sobrevivência do Haiti'.

MUNDO

"Os problemas do Mundo Moderno podem ser agrupados em três categorias: instabilidade e incertezas; desigualdade; e modelo insustentável pelo clima."

"Precisamos construir um Mundo com mais amigos do que inimigos, através de parcerias".

ENERGIA LIMPA

"A melhor coisa que você pode fazer para qualquer economia é mudar a forma que você produz e consome energia"

"Um dos grandes problemas do Mundo é produzir a anergia limpa",.

"Energia limpa ou manter a Floresta Amazônica?"

"Os agricultores de cana-de-açúcar empurram os pecuaristas para a Floresta Amazônica".

"A Floresta Amazônica produz 20% do oxigênio do Mundo".

"Quando eu era presidente consegui economizar muitas florestas. essa foi nossa contribuição".

MEIO AMBIENTE

"O que o Brasil está fazendo em relação ao Meio Ambiente, o Mundo todo está de olho".

"Não há uma resposta fácil se o Brasil erá uma responsabilidade compartilhada é preciso debater a questão do Meio Ambiente".

TERCEIRO SETOR

"Se você analisar os países bem sucedidos, eles precisam de governo forte, um setor privado forte e um terceiro setor forte".

"O terceiro setor estreita os laços onde o governo não chega e onde o privado não atua".

"O foco principal do terceiro setor, das ONGs é como você vai fazer".

"Precisamos de mais esforços não governamentais"

"Desde que vamos compartilhar o futuro, vamos fazer deste futuro compartilhado, de responsabilidade".

SAÚDE

"Negociamos com países fornecedores um grande quantidade de medicamentos a preços baixos para combater a Aids, por exemplo, no Caribe."

 

Mais conteúdo sobre:
Amazônia Bill Clinton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.