Cidade holandesa testará nova pavimentação que purifica o ar

Paralelepípedos feitos com novo tipo de concreto transformam poluente em partícula inofensiva com luz do Sol

Efe

07 Agosto 2008 | 17h21

A cidade de Hengelo, no leste da Holanda, testará em uma de suas ruas um novo tipo de pavimentação desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Twente que permite purificar parte da poluição do ar.   A instituição afirma em comunicado que os testes em laboratório demonstraram que os paralelepípedos fabricados com um inovador tipo de concreto transformam as partículas de óxido de nitrogênio (NOx), emitidas pelos automóveis, em nitratos inofensivos graças à ação da luz solar.   Estes seriam limpos depois simplesmente com a água da chuva, explicam os pesquisadores, que desenvolveram a pavimentação a partir de uma invenção japonesa.   Os NOx são um dos principais poluentes emitidos pelos motores e são responsáveis, juntamente com os óxidos de enxofre, da chuva ácida e da nuvem de poluição percebida nas regiões com grande concentração de trânsito.   A novidade seria o uso no concreto de um aditivo de dióxido de titânio, que além de purificar o ar faz com que os paralelepípedos repilam a sujeira e se mantenham mais limpos.   A Prefeitura de Hengelo pavimentará metade de uma via que está sendo reconstruída, enquanto na outra metade serão usados materiais convencionais.   "Medindo a qualidade do ar nas duas partes poderemos mostrar a eficácia dos paralelepípedos", destaca a Universidade de Twente em seu comunicado.   Está previsto que as obras na estrada terminem no final do ano e que os primeiros testes sejam realizados no início de 2009.   A universidade espera divulgar os primeiros resultados das medições, que poderiam representar um enorme avanço na luta contra a poluição, no segundo semestre de 2009.

Mais conteúdo sobre:
meio ambiente poluição Holanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.