China sediará conversas sobre o clima antes de reunião no México

A China sediará uma rodada adicional de negociações internacionais em outubro, que tem como objetivo fomentar um acordo para um novo tratado sobre o clima, disse uma alta autoridade da Organização das Nações Unidas (ONU) para o meio ambiente em comentários publicados nesta segunda-feira.

REUTERS

05 Julho 2010 | 09h19

Achim Steiner, subsecretário-geral da ONU e diretor do Programa de Meio Ambiente da entidade, disse ao jornal China Daily que a rodada adicional de negociações ocorreria na cidade portuária de Tianjin, no norte da China, próximo de Pequim.

"A China irá introduzir algumas novas ideias e oportunidades para levar adiante as negociações", disse Steiner, que esteve em visita à China.

Os governos esperam chegar a um acordo para um novo tratado de cumprimento obrigatório sobre mudanças climáticas depois de a cúpula de Copenhague, no final do ano passado, terminar com um acordo fraco e não-obrigatório.

As novas negociações de Tianjin ocorrerão antes da próxima reunião ministerial em Cancún, no México, entre 29 de novembro e 10 de dezembro, onde autoridades do clima esperam chegar a um acordo sobre os principais elementos do novo tratado, e possivelmente seus detalhes.

A China é a maior emissora mundial de gases do efeito estufa produzidos por atividades humanas, tendo superado os Estados Unidos, e sua postura para controlar as emissões será crucial para construir um novo pacto para o combate ao aquecimento global.

Mas autoridades da China e outros países já expressaram suas dúvidas de que Cancún poderá definir um tratado de cumprimento obrigatório sobre o clima. Isso tem maior probabilidade de acontecer nas negociações sobre o clima marcadas para a África do Sul ao final de 2011.

Em maio, Xie Zhenhua, que liderou a delegação chinesa nas turbulentas negociações em Copenhague, disse que o único objetivo da reunião em Cancún era um "resultado positivo".

(Reportagem de Chris Buckley)

Mais conteúdo sobre:
CLIMA CHINA SEDIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.