Wong Maye-E/AP
Wong Maye-E/AP

Chimpanzé fumante atrai visitantes a zoológico na Coreia do Norte

Macaca fuma um maço por dia e é capaz de acender cigarros com isqueiro ou bitucas deixadas no chão; espaço diz que ela não inala fumaça

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2016 | 10h45

PYONGYANG - Aberto recentemente, o zoológico de Pyongyang, na Coreia do Norte, tem uma nova estrela: Azaleia, a chimpanzé fumante. Em coreano, seu nome é "Dallae". De acordo com o zoo, que se tornou o lazer favorito na capital do país asiático após a reinauguração em julho, a fêmea de 19 anos fuma um maço por dia.

A administração do zoológico ressalta, no entanto, que a macaca não inala a fumaça.

Quando um adestrador joga um isqueiro, a chimpanzé acende os cigarros. Sem o objeto, ela é capaz de acendê-los com a ajuda de bitucas jogadas no chão.

A cena pode revoltar em vários lugares do mundo, mas parece divertir os visitantes do zoológico. Quando a macaca, uma das duas do espaço, sentou-se com um cigarro na boca sob as ordens de seu treinador, o público riu alto. O adestrador também fez o animal tocar o nariz, curvar-se em agradecimento e dançar.

Outras atrações. O zoológico recebe milhares de visitantes por dia com uma série de atrações, que vão desde comida típica e animais, como elefantes, girafas, pinguins e macacos, a um museu de história natural de alta tecnologia, o qual mostra com monitores a origem do sistema solar e da vida na Terra.

Outra atração popular que surpreende os visitantes estrangeiros é o pavilhão dos cachorros, com raças como pastor alemão e Shih Tzu. O zoológico também faz apresentações com outros animais treinados para fazer truques. Há um macaco que joga basquete, cães que fazem cálculos de soma e subtração em ábaco e pombas que voam e pousam em uma mulher que patina.

A modernização do novo zoológico começou em 2014, parte da estratégia do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, de criar centros de lazer e atrações impressionantes ao redor da capital do país.

O zoológico original surgiu em 1959, quando Kim Il-sung, o primeiro líder da Coreia do Norte e avô de Kim Jong-un, ordenou sua construção na periferia de Pyongyang. O espaço foi aberto com apenas 50 texugos. /AP

Mais conteúdo sobre:
Terra Kim Jong-un

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.