Câmara dos Deputados vai discutir construção de depósito de lixo radioativo

A cidade de Abadia de Goiás (GO), que já abriga seis mil toneladas de dejetos contaminados com Césio 137, pode receber novo depósito

Agência Câmara

19 Julho 2011 | 18h36

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados vai realizar um debate sobre a construção do depósito nacional de dejetos nucleares na cidade de Abadia de Goiás (GO), para receber o lixo radiotivo de Angra 1 e 2. O debate ainda não tem data definida para acontecer, mas deve contar com as presenças do procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, do prefeito de Abadia de Goiás, Valdeci Mendonça (PMDB), do presidente da Associação das Vítimas do Césio 137, Odessom Ferreira e de um representante do Ministério de Minas e Energia, entre outros convidados.

Abadia de Goiás já abriga seis mil toneladas de dejetos contaminados com Césio 137 (elemento químico utilizado em aparelhos de raio-X) em dois depósitos definitivos. Caso o município receba os materiais radioativos das usinas, será necessária a instalação de um terceiro depósito.

"A descontaminação do local (atingido pelo Césio) causou danos irreparáveis aos moradores, que além de terem sido contaminados, viram suas casas, roupas, brinquedos e utensílios domésticos virarem toneladas de lixo atômico. Até a terra dos terrenos, onde se localizavam as residências, foi removida e transformada em lixo", lembrou o deputado Jorge Pinheiro (PRB-GO), que sugeriu a audiência.

O parlamentar ressaltou que o Plano Nacional de Energia Nuclear prevê ampliar a geração desse tipo de energia, enquanto o resto do mundo investe mais em energia limpa e renovável.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.