Brasil concorda em discutir compromisso futuro

Izabella Teixeira, Ministra do Meio Ambiente, diz que Brasil quer discutir o futuro em igualdade de condições

Afra Balazina, O Estado de S. Paulo

28 Novembro 2011 | 00h07

A Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, diz que o Brasil vai a Durban disposto a conversar sobre todas as questões, até mesmo a possibilidade de um acordo futuro com maiores obrigações para os países emergentes. “O Brasil não se nega a discutir o futuro, desde que seja em condições de igualdade”, disse ela. E completou: “Os europeus colocam isso como uma sinalização para o futuro, para se começar a pensar ao longo do tempo, para o pós-2020. Nós, no Brasil, estamos dispostos a dialogar sobre todas as propostas. Nós temos nossas metas voluntárias e devemos até antecipar as metas do Brasil. A gente está em quase 70% daquilo que é o compromisso de 2020 de desmatamento da Amazônia”, afirmou.

Mas, para o País, manter o Protocolo de Kyoto neste momento é fundamental. “Nós entendemos que é absolutamente essencial um segundo período de compromisso de Kyoto para manter o engajamento dos países, a integridade ambiental do regime internacional e o sistema de regras multilaterais que esse protocolo representa.” Apesar de a UE dizer que concorda em continuar em Kyoto, países do grupo conhecido como Guarda-Chuva  (que inclui Rússia, Canadá, Japão e Austrália) já disseram abertamente que não querem permanecer no Protocolo. Segundo Izabella, esse é o grupo “mais conservador” da conferência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.