Ativistas do Greenpeace chegam em suas casas após prisão na Rússia

25 dos 26 integrantes que conseguiram anistia já embarcaram rumo a seus países, segundo o Greenpeace; a brasileira Ana Paula Maciel chegou ao Brasil neste sábado, 28

Bárbara Ferreira Santos,

28 Dezembro 2013 | 10h40

Ativistas detidos por protestarem contra a exploração de petróleo no Ártico começaram chegar em suas casas nesta sexta, 27, e sábado, 28, carregando faixas escritas "Salvem o Ártico", após conseguirem anistia do parlamento russo. Os "30 do Ártico", como ficaram conhecidos, foram detidos depois de protestarem contra a exploração do petróleo no Mar do Norte, no Ártico, em setembro. Eles ficaram dois meses presos e depois mais 40 dias sob custódia do governo russo.

A brasileira Ana Paula Maciel e outros 24 integrantes do grupo que não são russos deixaram o país na sexta-feira, 27, segundo comunicado do Greenpeace. Ana Paula chegou ao Brasil neste sábado às 7h05, vinda de Frankfurt e, em entrevista à imprensa no Aeroporto Internacional de Guarulhos, ela falou que aquele foi o "voo de sua liberdade. "Foram 12 horas de viagem no avião da minha liberdade. Eu passei tantas vezes 12 horas na solitária, que 12 horas no avião foi barbada dessa vez. A minha vida mudou, foi uma tremenda injustiça o que aconteceu, uma tentativa frustrada de calar os protestos pacíficos e a liberdade de expressão", afirmou.

Cinco ativistas britânicos chegaram ainda na sexta, 27, em Londres. Alex Harris, Anthony Perrett, Phil Ball, Iain Rogers e Kieron Bryan pegaram um avião até Paris, onde seguiram de trem até a Inglaterra.  Na chegada, Alex Harris disse que a anistia "não era o ideal, mas era o mais fácil para a Rússia". "Não sofremos violência física, mas foi uma tortura, porque passamos dois meses em uma cela de uma cadeia russa e detidos por 100  dias por um crime que não cometemos", afirmou. 

No mesmo voo até Paris estava o canadense Alexandre Paul, que desembarcou na sexta em Montreal, no Canadá. Também na sexta chegou a Estocolmo o ativista sueco Dima Litvinov. 

Dois ativistas holandeses, Faiza Oulahsen e Mannes Ubels, chegaram ao aeroporto de Amsterdam às 21 horas (horário de Brasília) dessa sexta. Antes de embarcar, Faiza escreveu uma mensagem na rede social Twitter. "Indo para Amsterdam depois de quase 4 meses incríveis. O apoio mundial foi gratificante. Obrigada", afirmou."

Neste sábado deve chegar na Argentina os ativistas Camila Speziale e Miguel Hernan Perez Orsi. Eles embarcaram na sexta com a família no aeroporto de São Petersburgo, na Rússia./COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.