Pichi Chuang
Pichi Chuang

Aprenda a reaproveitar resíduos eletrônicos em casa

Artistas ensinam a fazer luminária de placa-mãe e cachepot de disquetes

Da redação, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2017 | 16h20

O porão, o sótão e os quartos de fundo de algumas casas e apartamentos costumam ter, aos montes, objetos que estão em desuso. Os consumidores adquirem novos produtos e os velhos acabam acumulando na dispensa. Quando o assunto se trata de lixo eletrônico, o descarte e o reaproveitamento devem ser princípios básicos para contribuir com o meio ambiente e até com a renda de alguém.

Em entrevista à TV Estadão, dois artistas paulistas mostraram que resíduos eletrônicos ressignificados não só podem ser tão funcionais quanto novos produtos como são simples de fazer. Natural de São José dos Campos, o técnico em eletrônica Gilberto Mendes mostrou como fazer uma luminária com placas-mãe de CPU de computadores. O funcionário público, vinculado ao Instituto de Tecnologia de Aeronáutica (ITA) há mais de 30 anos, conta que desde 2011 tem um projeto chamado "Arte Eletrônica", no qual realiza exposições, workshops e demonstrações educacionais de suas obras.

Para fazer a luminária de autoria do artista é necessário ter quatro placas-mãe, alguns lacres para acoplar as placas e formar a cabeça do que seria uma espécie de abajur, uma lâmpada, um bocal e um monitor de notebook para ser a base do objeto. Confira abaixo a ideia de Gilberto Mendes.

Também convidada pelo Estado para mostrar sua arte, Naná Hayne ensinou a fazer um cachepot (recipiente para acomodar plantas e guardar demais objetos) formado por disquetes. A confecção dele é mais simples ainda: precisa apenas de cinco disquetes e alguns lacres para acoplá-los e formar a caixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.