Madis Nissen/EFE
Madis Nissen/EFE

Após polêmica com girafa, zoológico de Copenhague sacrifica quatro leões

Felinos foram mortos para dar lugar a outro macho; estabelecimento disse que prática é habitual

EFE

26 Março 2014 | 16h45

COPENHAGUE- O zoológico de Copenhague sacrificou quatro leões para dar lugar a um novo macho. O caso aconteceu semanas depois da polêmica causada pelo sacrifício público da girafa Marius, que teve repercussão internacional.

O centro recebeu no domingo um leão de três anos de outro zoológico dinamarquês, que formará junto com as duas leoas jovens do zoológico a nova população de felinos do estabelecimento.

A direção do zoológico argumentou sua decisão pelo risco de endogamia e pela idade avançada de dois dos felinos. De acordo com o estabelecimento, os outros dois, que foram colocados sem êxito em outros centros, eram muito jovens para sobreviver ao novo macho que chegou.

"Creio que o caso de Marius serviu para que mais pessoas estejam melhor informadas. Não nos assusta o que aconteceu, porque o que fazemos é o mais apropriado do ponto de vista profissional", declarou a uma agência o diretor do centro, Steffen Strade.

O sacrifício de Marius no mês passado provocou protestos em nível internacional. A instituição dinamarquesa se defendeu insistindo que se trata de una prática habitual motivada por razões genéticas.

A possibilidade de que o sacrifício dos leões, que morreram por uma injeção letal, provoque una reação similar não assusta o zoológico de Copenhague. "Estamos preparados como costumamos fazer: contamos abertamente e com honestidade o que fazemos e o que defendemos. Não nos escondemos em nenhum buraco", disse Strade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.