Tadeu do Resgate/Facebook
Tadeu do Resgate/Facebook

Anglo American é multada em R$ 125,5 mi por vazamento de minério de ferro em MG

Valor está relacionado ao primeiro vazamento e nova penalidade poderá ser aplicada por causa de um segundo dano ambiental; empresa diz que analisa auto e se manifestará depois

Leonardo Augusto, especial para o Estado

05 Abril 2018 | 10h28

BELO HORIZONTE - A mineradora Anglo American foi multada em R$ 125,5 milhões pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de Minas Gerais pelo vazamento do mineroduto da empresa ocorrido em 12 de março em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata.

+++ Tubulação se rompe e despeja minério em manancial de Minas Gerais

A secretaria analisa o segundo vazamento da estrutura, que aconteceu no dia 29 do mesmo mês, para decidir sobre a aplicação de nova penalidade. Em nota, a Semad informou que "após todas as diligências de atendimento imediato a emergência e fiscalizações, emitiu, nesta quarta-feira, 4, o auto de infração referente ao vazamento do mineroduto Minas-Rio, da empresa Anglo American."

A multa foi aplicada, conforme a Semad, "tendo em vista que a Anglo, considerada uma empresa de grande porte, causou poluição e degradação ambiental que resultou em dano aos recursos hídricos, gerou ainda perigo de dano à saúde pública e ao bem-estar da população."

+++ Vazamento de mineroduto atingiu dois rios em Minas Gerais

O volume que vazou do mineroduto no primeiro incidente atingiu dois ribeirões da região e chegou a deixar os moradores de Santo Antônio do Grama sem água. Como uma captação foi feita por causa do primeiro vazamento, no segundo não houve falta d'água na cidade. O volume jogado no meio ambiente, porém, voltou a atingir pelo menos um dos ribeirões afetados no estouro anterior.

A Anglo American pode recorrer da multa. Em nota, a empresa disse que "está analisando o auto de infração recebido na tarde de quarta-feira. A posição da empresa será divulgada oportunamente."

+++ MPF pede bloqueio de R$ 10 milhões de mineradora devido a vazamento em MG

Ainda conforme a mineradora, "é importante ressaltar que a empresa tomou todas as medidas para a minimização dos efeitos dos incidentes ocorridos nos dias 12 e 29 de março, o que incluiu a imediata suspensão de suas operações, o trabalho de limpeza do ribeirão Santo Antônio do Grama e o diálogo permanente com os moradores para dimensionamento e atendimento das necessidades."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.