Divulgação
Divulgação

A marca da floresta

Acre cria selo estadual para atestar origem de utensílios produzidos pelo pólo moveleior de Rio Branco

Karina Ninni, AE

18 Março 2010 | 23h35

O Acre saiu na frente na corrida pelo mercado de produtos florestais certificados: criou um selo que indica, para o consumidor, que o produto florestal que ele está levando vem de um dos estados menos desmatados da Amazônia.

Trata-se do selo Acre Certificado Florestas Manejadas, aplicado a produtos que já possuem o selo FSC (Forest Stewardship Council). Cadeiras, mesas, espreguiçadeiras e utensílios de cozinha “duplamente certificados” já estão à venda em 21 lojas da rede C&C (Casa e Construção), nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

“É uma estratégia de marketing. Não basta inserir os produtos já certificados no mercado do Sudeste. É preciso que as pessoas saibam que eles vieram do Acre”, diz a Chefe do Departamento de Políticas Públicas Florestais do Estado, Marilda Moreira Brasileiro Rios.

Os produtos são fabricados por quatro empresas certificadas do pólo moveleiro localizado no Distrito Industrial de Rio Branco. “Elas utilizam madeira de seis fontes principais: duas madeireiras e quatro comunidades, todas elas certificadas por nós”, esclarece Patrícia Cota Gomes, do Imaflora, ong brasileira credenciada pelo FSC para realizar certificações.

 

“Na primeira entrega de produtos com o selo estadual para a C&C enviamos 2.800 peças. Estamos fazendo um esforço para que os produtos certificados do Acre cheguem ao consumidor final pelo mesmo preço do convencional”, salienta George Dobré, proprietário da IIba Produtos Florestais Sustentáveis e responsável pelo contrato com a cadeia C&C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.