NEX: O bom exemplo que vem do Centro-Oeste
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

NEX: O bom exemplo que vem do Centro-Oeste

Dener Giovanini

17 Outubro 2012 | 19h16

Já apresentei aqui na coluna, exemplos de belos e importantes projetos ambientais que são desenvolvidos no Brasil. Representando a região Norte, a Fundação Amazonas Sustentável. No Sudeste, o destaque foi para a SOS Mata Atlântica. Reconhecer o mérito desses projetos e a dedicação dos profissionais envolvidos na sua execução é mais que uma obrigação. É, acima de tudo, reconhecer que o nosso país pode ter esperança de um futuro melhor. Agora chegou a vez do Centro-Oeste.

A região central do Brasil abriga um refúgio, ou melhor, um santuário da vida selvagem. E santuário é na mais fiel origem dessa palavra latina: lugar sagrado, lugar de devoção. Ali, uma equipe comandada por Cristina Gianni, dedica-se a resgatar a dignidade e a vitalidade dos felinos silvestres brasileiros. Onças e jaguatiricas, entre outros animais, encontram numa fazenda nos arredores de Brasília, muito mais que recintos confortáveis e farta alimentação. Encontram, principalmente, a sua alma selvagem, que um dia lhe foi aprisionada por seres humanos que vagam nesse planeta envoltos na escuridão.

A maior parte dos animais abrigados no santuário do NEX (No Extinction) é oriunda de um desastrado encontro entre homem e natureza. São felinos que tiveram negada a convivência com o seu meio natural, ou ainda, que foram resgatados das mãos de traficantes de animais. Muitos chegam ao NEX carregando as cicatrizes de anos de maus-tratos, de abandono e desprezo pela sua inocência selvagem.

Num país onde a barbárie ainda impera, como no recente caso a fazendeira Beatriz Rondon, acusada pelo Ministério Público de promover caçadas à onças no Pantanal, a existência do NEX e sua equipe sintetiza a derrota da iniquidade humana sobre a nossa fauna silvestre.

Que as nossas onças escoltem aos céus aqueles que por elas vivem. E que aos infernos conduzam àqueles que por elas matam. Obrigado NEX!

Vale a pena conhecer e apoiar:http://www.nex.org.br

Cristina Gianni, diretora do NEX e uma oncinha de sorte.